Procura-se mão de obra qualificada

Mercado de Trabalho

Era uma vez um país com milhões de pessoas em busca de oportunidades e uma área com vagas em aberto à espera de trabalhadores qualificados para início imediato de trabalho. Nessa frase, o país é o Brasil e a área é a de instalador de sistemas de automação residencial.

Segundo dados da Aureside, associação do setor, o mercado brasileiro de automação residencial e predial cresce anualmente, já faz um bom tempo, a taxas na casa dos vinte por cento! Um dos motivos para esse espantoso crescimento é a maior disponibilidade e a diminuição dos preços dos produtos e sistemas.

A situação é tão favorável que, de tempos para cá, é possível encontrar soluções de automação residencial simplesmente passeando pelos corredores de home centers, por exemplo. Desta forma, o acesso da “dona de casa” aos produtos de automação residencial está muito mais fácil e atrai cada vez mais a atenção de uma parcela da população que curte um estilo de vida mais tecnológico.

Apesar de todas essas ótimas notícias, existe um importante e decisivo gargalo que tem provocado um certo freio na decolagem desse mercado para níveis muito elevados: a mão de obra qualificada para fazer a instalação desses sistemas de automação residencial vendidos diretamente aos consumidores finais.

Ao contrário dos interruptores e tomadas convencionais, que têm apenas questões de “hardware” para serem instalados, ou seja, cabem na caixinha, são instalados em pé ou deitados, etc., os produtos de automação residencial têm, além do hardware, um pouco de “software”, mesmo que tais programações sejam muito simples na maioria dos casos. Além disso, diferentemente dos produtos convencionais, a automação utiliza, em alguns casos, sistemas de comunicação sem fio, o que também demanda conhecimento específico. 

Ainda hoje, uma parte importante do mercado de automação residencial segue o modelo de fornecimento “turn key”, no qual uma empresa integradora fornece desde o projeto até o comissionamento da obra, disponibilizando no pacote oferecido ao cliente a mão de obra para a instalação. No entanto, o mesmo não acontece com as soluções vendidas em home centers, onde não existe a figura do integrador, passando a ser um “problema” do consumidor final quem vai instalar os produtos adquiridos na loja. Para não deixar o consumidor na mão, a Aureside, os lojistas e os fornecedores começaram a se preocupar com o assunto e concluíram que a saída é formar uma nova categoria de profissionais, chamada de instalador de sistemas de automação residencial.

Para fornecer os conhecimentos necessários à correta execução das instalações de automação residencial, a Revista Potência, através de sua área denominada Potência Educação, e a Aureside, criaram o “Curso de Instalador de Automação Residencial”, oferecido nas modalidades online e presencial. Este curso é pré-requisito para outros cursos práticos que serão oferecidos diretamente pelas empresas fornecedoras de produtos e soluções. Ao final destes cursos, o profissional estará capacitado para fazer a instalação adequada e segura dos sistemas oferecidos aos consumidores finais.

Com essa iniciativa, a Aureside, a Revista Potência, lojistas e fornecedores esperam atender a necessidade dos clientes de automação residencial e, ao mesmo tempo, abrir novas oportunidades de aperfeiçoamento, trabalho e renda para milhares de pessoas.

Essa matéria foi escrita pelo prof. Hilton Moreno

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *