Geração fotovoltaica

A Envo, braço da CPFL Energia para a geração distribuída solar para residências e clientes comerciais e industriais de pequeno porte, instalou no Colégio Antares, em Americana (SP), um sistema de geração solar fotovoltaica para que a instituição gere sua própria energia elétrica. O projeto, entregue no final de julho, contemplou a instalação de 180 placas fotovoltaicas sobre o telhado do colégio.

energia fotovoltaica

Com capacidade instalada de 48,6 kWp, o sistema supre 83% da demanda por energia e garante a economia na conta ao final de cada mês. Antes da implantação, o colégio tinha, em média, um consumo de 90 mil kWh e gastos na ordem de R$ 45 mil com a conta de energia ao ano. Com a implantação do sistema solar, esse consumo reduz para 16.378 kWh ao ano, e diminui para R$ 7.691,00 os gastos com energia.

O sistema instalado, que teve investimento de R$ 217,1 mil, gera 73.622 kWh ao ano. Para efeitos de comparação, essa energia é suficiente para abastecer cerca de 30 residências com consumo médio de 200 KWh por mês. “As empresas estão buscando alternativas para reduzir as suas despesas com energia, devido ao aumento das tarifas do mercado cativo. Além de proporcionar economia, a solução de geração solar distribuída também reduz o impacto ao meio ambiente, já que o sol é uma fonte limpa e renovável”, diz a diretora de Inteligência de Mercado da CPFL Energia, Fabiana Avellar.

O Colégio Antares inaugurou recentemente sua unidade 3, onde os painéis foram instalados, um prédio com uma concepção moderna, que visa atender diversas características pedagógicas, sociais e sustentáveis. Após a realização do estudo de viabilidade, a diretoria do Colégio optou pela implantação do sistema de geração de fotovoltaica que, além de ser uma tendência no mercado internacional e produzir energia limpa e renovável, vai promover significativa redução de gastos para o Colégio.

Um comentário em “Geração fotovoltaica

  • outubro 11, 2018 em 11:40 pm
    Permalink

    O payback, contando com os custos financeiros, devem dar cerca de 10 anos, correto?
    A economia é de R$45 mil – R$7,7 mil = R$38,3 mil ao ano.

    Ou seja, o investimento levará quase 10 anos para se pagar, isso se contar com as linhas de crédito subsidiadas.

    Não é um tempo muito distendido?
    Este tipo de obra de geração distribuída não tem dado um retorno em torno de 5 a 6 anos?

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *