Dia da Manufatura

Incentivar a participação das mulheres no ambiente industrial e de jovens em carreira na indústria são algumas das premissas da Ingersoll Rand®, empresa global, líder mundial na criação de ambientes confortáveis, sustentáveis e eficientes. Aproveitando o Dia da Manufatura – Manufacturing Day, comemorado em 5 de outubro, a companhia abriu as portas das fábricas para visitação de estudantes e escolas.

Como parte das ações, a planta fabril de Araucária (PR) e o escritório comercial em Barueri (SP) receberam alunos dos cursos do SENAI de OSASCO para apresentar o trabalho desenvolvido em cada área e, assim, aproximar os estudantes da operação de uma multinacional americana com manufatura no Brasil. Durante o encontro os alunos puderam ver o conhecimento teórico aplicado na prática e a dinâmica em uma grande empresa, além de conversarem com profissionais de diversas áreas operacionais e tirarem dúvidas sobre carreira e mercado de trabalho.

Patrícia Correa, gerente de Desenvolvimento da Rede de Concessionários da Thermo King e embaixadora do WEN – Women´s Employment Networking, programa de empoderamento, liderança e também de diversidade e inclusão da empresa na América Latina, explica que foi uma oportunidade muito positiva para que os participantes pudessem conhecer os programas de desenvolvimento profissional interno, como o WEN e os ERGs (Employee Resource Group), entre outras iniciativas. “Hoje, muitos estudantes deixam o ensino médio ou a faculdade despreparados para o sucesso profissional em áreas de STEM, como manufatura avançada e robótica”, conta Patrícia.

Para Juliano Gonçalves, o professor e orientador de Prática Profissional da Escola SENAI de Osasco, esse contato com uma empresa no início do curso abre uma nova expectativa para os alunos. “É extremamente interessante uma empresa abrir as portas, mostrar o seu processo e dar uma aula sobre exatamente o que os alunos poderão ver na vida profissional deles, além de valorizar aquilo que eles estão aprendendo. Isso é fantástico”, disse.

A indústria passa por uma grave escassez de trabalhadores qualificados. Segundo estudos na próxima década os fabricantes enfrentarão uma escassez de mão de obra sem precedentes – a indústria precisará de mais 2 milhões de trabalhadores qualificados do que poderá encontrar no mercado. “Apesar desta necessidade clara, tanto as escolas como os fabricantes enfrentam frequentemente desafios na tentativa de implementar uma educação STEM eficaz, além de desenvolver profissionais e programas de formação”, reforça Patrícia.

“Eu não sabia como nós usávamos indiretamente o produto de vocês (IR) no dia a dia. Eu aprendi bastante com essa visita e tirei muitas dúvidas que eu tinha. Também acho muito importante uma empresa que tem a iniciativa de investir em mulheres, porque nós sabemos dos desafios que enfrentamos no dia a dia”, diz a aluna Jenifer Tavanito.

“Nós acreditamos que o desenvolvimento bem-sucedido da força de trabalho e o crescimento econômico sustentável dependem do estreito alinhamento da educação, certificação e treinamento STEM com as necessidades e o conhecimento especializado dos líderes do setor”, reforça Patrícia. Os alunos participaram de um tour por todas as linhas de produção da planta fabril e também pelos escritórios comerciais e corporativos da Ingersoll Rand. “Por essa razão, nós abrimos as nossas unidades para inspirar, motivar e incentivar os estudantes a continuarem seus estudos em carreiras técnicas apresentando os nossos produtos e compartilhando histórias de carreira de profissionais bem-sucedidos da nossa equipe”.

Como uma forma de ampliar a ação e aproximar o local de trabalho do cotidiano das famílias, a Ingersoll Rand recebeu, em sua unidade de Barueri, no dia 6 de outubro, os filhos, pais e cônjuges dos colaboradores. Com uma atividade descontraída, os familiares puderam perceber que cada espaço visa valorizar o esforço e a dedicação dos profissionais que ajudam a construir a história da empresa. “Embora alguns colaboradores já tenham trazido seus filhos, pais, maridos e esposas para conhecer a Ingersoll Rand, é sempre motivador abrir as portas da empresa para que a família possa ver de perto um pouco do trabalho diário e saber o quanto a empresa cresce a cada dia“, reforça Patricia.

Para Mauro Borba, colaborador de reparo e manutenção de compressores da Ingersoll Rand, a ação abre as portas para o conhecimento. “É muito gratificante poder passar para os filhos o nosso dia a dia e quem sabe até dar um norte sobre diferentes profissões no futuro. Além disso, eles puderam conhecer uma empresa multinacional, que tem um ambiente gostoso e que respeita muito a segurança”, enfatizou. Mauro levou a esposa Elisangela e os filhos Augusto e Arthur para conhecer a empresa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *