5 maneiras de combater interrupções de energia elétrica

Na maioria das vezes, a energia elétrica é intrínseca ao funcionamento de um prédio ou fábrica, onde as luzes não se apagam, os computadores ficam ligados e as linhas de produção funcionam ininterruptamente, com exceção a interrupções causadas por problema originário da rede elétrica, como um apagão ou outro tipo de distúrbio na rede de transmissão ou distribuição.

Créditos: Shutterstock

Para administrar esses contratempos, as organizações contam com algum tipo de sistema de energia de emergência, incluindo um no-break. Porém, isso pode não ser suficiente. Dentro da infraestrutura, estão ocultas as condições da rede de distribuição de energia elétrica e dos próprios equipamentos, as quais podem colocar em risco a confiabilidade da operação. Ao contrário dos eventos externos à instalação, estes riscos ocorrem “internamente”, do ponto de entrega da energia elétrica até cada carga que a consome. Como eles não são óbvios, as equipes de operação e manutenção acabam despendendo muito tempo para detectá-los e solucioná-los. 

Por isso, para ajudar as empresas a identificarem os fatores que podem gerar a interrupção do fornecimento de energia, o consultor de aplicação da Schneider Electric Brasil, Guilherme Guedes, lista os cinco principais pontos de atenção. São eles:

Detecção de falhas no equipamento

Os sistemas de gerenciamento de energia são capazes de integrar a capacidade de distribuição de uma instalação com todas as entradas, redes, alimentadores, sub-alimentadores e cargas definidas. Os dispositivos conectados são usados para monitorar de forma precisa e contínua as condições, em todos os pontos-chave, incluindo o status da proteção e dos dispositivos de chaveamento, como disjuntores. Se qualquer mudança inesperada de estado for detectada, um alarme notifica a equipe da Schneider para que ela possa localizar imediatamente o problema e tomar medidas para evitar uma situação crítica.

Qualidade de energia elétrica

As anomalias de energia elétrica podem ter um grande impacto na confiabilidade do sistema, por isso é importante estar constantemente analisando a qualidade energética de toda a planta, categorizando eventos dissonantes em relação às curvas de tolerância padrão da indústria (por exemplo, CBEMA/ITIC, SEMI-F47). Se um evento ficar fora das tolerâncias aceitáveis – por exemplo, uma queda na tensão maior que 80%, durante mais de 50 ms – a equipe de operação será alertada. Eles podem então decidir se o risco é muito grande para continuar um processo que poderia resultar em um produto abaixo do padrão e, por sua vez, perder tempo, materiais e dinheiro.

Encontrar a causa raiz do problema

Dispositivos inteligentes e conectados em todos os sistemas de distribuição de energia captam e registram todos os tipos de eventos de energia que excedem os limites predefinidos. Esses dispositivos podem ser medidores ou possuírem função de medição embutidas, como em disjuntores inteligentes. Todos esses dados são continuamente carregados para um aplicativo de análise.

Os novos sistemas de gerenciamento de energia da Schneider são capazes de correlacionar automaticamente os dados de todo o sistema, incluindo eventos, mudanças de status e formas de onda capturadas. Além disso, alarmes e ‘agrupamento’ de eventos também podem ser usados para revelar mais rapidamente a propagação de um distúrbio de energia. Desta forma, a fonte de uma falha ou queda de energia pode ser rapidamente isolada, a resposta apropriada determinada e o problema resolvido para evitar ocorrências futuras.

Prevenção de incêndios e falhas elétricas

O NETA (International Electrical Testing Association) afirmou que uma grande seguradora estima que aproximadamente 25% de todas as principais falhas elétricas ocorrem devido a conexões de potência frouxas ou defeituosas (por exemplo, corroídas). Para resolver isso, novas tecnologias estão surgindo. Sensores térmicos sem fio, por exemplo, podem ser instalados em locais como barramentos e onde disjuntores e transformadores são conectados. Eles transmitem dados para um aplicativo central de gerenciamento de energia, o qual observa constantemente qualquer sinal de aumento anormal de temperatura em um ou mais condutores. Desta forma, a detecção precoce pode evitar o risco de incêndio ou falha. Essa abordagem de manutenção preditiva pode aumentar o MTBF de cada quadro elétrico, bem como evitar o tempo e o custo dos testes anuais de IR.

Estender o desempenho e a vida útil do disjuntor

A manutenção regular em cada disjuntor é normalmente feita de forma programada. No entanto, alguns disjuntores inteligentes e aplicativos de gerenciamento de energia agora oferecem recursos analíticos que suportam uma abordagem mais pró-ativa e baseada em condições. 

O EcoStruxure™ Power da Schneider Electric é uma arquitetura unificada de distribuição e gerenciamento de energia que inclui os dispositivos conectados e os recursos analíticos necessários para maximizar o tempo de atividade, mantendo-se em dia com os equipamentos e as condições de qualidade de energia, bem como isolar rapidamente riscos ou problemas e apoiar estratégias de manutenção baseadas em condições. Com a inteligência incorporada em cada disjuntor é possível registrar uma ampla variedade de parâmetros, incluindo o número de desarmes e o perfil de corrente interrompida para cada um. O resultado é uma imagem mais completa da saúde e envelhecimento do disjuntor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.