6 passos para instalar uma sala de servidores na pequena empresa

Edianne Lima – Gerente de produto de TI da Schneider Electric Brasil

Uma sala de servidores pode ser descrita como um lugar usado para armazenar, alimentar e operar servidores, juntamente a seus respectivos componentes. Ali, são fornecidos serviços funcionais e ambientais para monitorar servidores corporativos, e o acesso e gerenciamento ocorrem essencialmente por um sistema administrativo de servidor, de regra localizado do lado de fora.

Essas salas são utilizadas sobretudo para executar aplicações corporativas que exigem grandes recursos de computação em tempo de execução: softwares bancários, mídias sociais, mecanismos de pesquisa, etc.

O fato é que, antes de instalar uma sala de servidores em uma empresa, é importante ter vários fatores em mente. Confira:

1) Escolhendo a localização adequada – Em primeiríssimo lugar, verifique se a estrutura do edifício é capaz de manter os requisitos de hardware do servidor. Em seguida, cheque se há ventilação suficiente, já que grandes instalações de servidores precisam ficar em locais bem arejados para funcionar com eficiência máxima. Também é importante ressaltar que essas salas geram som e ruído excessivos, podendo perturbar os funcionários, caso estejam sentados nas proximidades.

2) Equipamento de montagem adequado – Geralmente, a infraestrutura de servidor de uma pequena empresa começa com uma pilha de hardwares em uma sala. Deixar todo esse equipamento exposto pode levar a avarias nos sistemas, em função de obstáculos criados por poeira, derramamentos e outros imprevistos. As empresas que desejam instalar uma sala de servidores devem investir em racks projetados especialmente para abrigar hardwares de servidores. Prateleiras e gavetas específicas para essa finalidade completam o cenário.

3) Escolhendo o servidor correto – Estão disponíveis diferentes servidores projetados unicamente para executar determinadas funções. Por exemplo, as organizações que demandam servidores para compartilhamento de arquivos, backup e controle de acesso remoto para um número reduzido de funcionários podem instalar o Windows Home Server Machine ou o NAS.

4) Segregação e rotulagem eficientes – Até mesmo para a instalação de servidores simples, é necessário rotular e documentar cuidadosamente sua respectiva configuração. Em um primeiro momento, iniciantes ou recém-chegados podem considerar complexas as configurações de uma sala de servidores, e o uso de uma rotulagem adequada pode diminuir os riscos envolvidos. Também é aconselhável manter notas detalhadas e precisas sobre os procedimentos, processos e instruções relacionadas ao servidor, a fim de evitar a perda de dados nas situações de falta de energia ou quaisquer outras falhas causadas por variações na distribuição de energia.

5) Gerenciamento do cabeamento – O gerenciamento de cabos – embora não seja um tema muito atraente – nunca pode ser negligenciado. Isso se deve principalmente ao fato de que quase todas as partes do equipamento no rack estão associadas a cabos Ethernet. A solução pode ser a instalação de patch panels – ou painéis de conexões –, que gerenciam esse acúmulo de cabos. Eles podem ser complicados de instalar, e, para isso, você deve retirar o cabo, colocá-lo no painel e utilizar uma ferramenta de teste de fio para validar sua conectividade.

6) Refrigeração – Formas convencionais de ventilação de ar podem não ser suficientes para uma sala de servidores de alto desempenho. Temperaturas elevadas podem danificar os componentes da sala, como interruptores e tomadas. Para lidar com essa situação, indica-se o uso de aparelhos de ar-condicionado portáteis. Há, inclusive, modelos projetados exclusivamente para essa função.

*Edianne Lima é gerente de produto de TI da Schneider Electric Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.