Projeto solar

 

 

O BID Invest, braço do setor privado do Grupo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), concedeu uma garantia total de crédito de R$ 315 milhões para cobrir a emissão de debêntures para o financiamento da construção e operação da fase II do complexo solar de Pirapora. O projeto, desenvolvido e operado pela EDF Renewables e Canadian Solar no Brasil, possui uma capacidade instalada de produção de energia combinada de 191,5 MW.

O projeto será o primeiro projeto solar fotovoltaico de larga escala a ser financiado pela modalidade de “project financing” no Brasil, contribuindo para a crescente oferta de energia renovável não convencional no país. O projeto apoia os esforços do Brasil para diversificar sua matriz energética a fim de reduzir a dependência na geração hidrelétrica, uma fonte de energia variável, fornecendo aproximadamente 357 MW/h de energia solar fotovoltaica limpa durante seu primeiro ano de operação. O projeto contribui para a meta do Brasil de reduzir as emissões de gases do efeito estufa em 43 por cento até 2030, eliminando aproximadamente 3,3 milhões de toneladas de CO2 durante a vida do projeto.

A Fase II consiste em cinco plantas solares fotovoltaicas (PV) localizadas em Pirapora, Minas Gerais. A operação aumenta a participação do setor privado no setor energético, promovendo o desenvolvimento upstream do setor fotovoltaico no país e o crescimento dos mercados de capitais por meio da emissão das debêntures. A estrutura oferece flexibilidade financeira e os termos necessários para tornar o projeto financeiramente viável e lucrativo, particularmente devido à oferta muito limitada de financiamentos de longo prazo denominados em reais no Brasil.

A participação do BID Invest permitirá que o projeto assegure financiamento com prazo de 16 anos, um prazo de maturidade atualmente não disponibilizado pelos bancos comerciais nacionais, ao fornecer uma garantia de crédito para o total da emissão de debêntures.

O BID Invest identificou o mercado de debêntures como uma das principais fontes de financiamento de projetos de energia e infraestrutura no Brasil. Esse mercado, entre outros, será incentivado com o desenvolvimento do fundo de dívida B2 Infra, que está sendo estruturado pelo BID Invest em coordenação com o BNDES. A liquidação dos títulos ocorreu em 15 de outubro e levantou mais de duas vezes o valor exigido. A emissão coberta pela garantia total de crédito do BID Invest tem sido classificada como AAA (local)/A+ (internacional) pela Fitch. O preço e o prazo obtidos por essa emissão foram os primeiros do gênero no mercado brasileiro.

Esta é a segunda vez que o BID Invest fornece garantia em reais para um projeto de energia renovável, bem como garantia de uma debênture de infraestrutura no mercado de capital local. Ao fornecer uma garantia internacional de AAA, o BID Invest promove o crescimento do mercado de capitais no Brasil, o que possibilita a mobilização de novas fontes de liquidez. A natureza e a estrutura inovadoras da garantia de crédito total do BID Invest diferem das tradicionais garantias de conclusão de construção de curto prazo, cujo custo é pago pelos patrocinadores do projeto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.