Januvia Prescription Cost Can You Buy Viagra In Peru 68 Bulgaria Buy Viagra Buy Generic Sitagliptin 50mg In Mexico

Solução projeta vida útil de cabos elétricos

A Baur do Brasil, empresa de tecnologia e serviços de manutenção em redes de distribuição de média tensão, está trazendo para o mercado nacional o software de análise estatística Statex, solução desenvolvida pela matriz Baur, sediada na Áustria, em parceria com a concessionária de energia sul-coreana Kepco.

Statex

Lançamento mundial, o Statex é um software especializado em calcular a vida remanescente de cabos isolados em operação a partir da tecnologia de Big Data (análise de grandes volumes de dados).

O desenvolvimento do produto baseou-se em mais de 45 mil medidas de Tangente Delta em 15 mil circuitos de cabos subterrâneos de média tensão provenientes de estudos realizados por diversos comitês técnicos internacionais. A partir destes parâmetros que o software possui em seu banco de dados, ele é capaz de determinar, de forma detalhada, o estado de envelhecimento, a velocidade de envelhecimento e a vida útil restante (estatisticamente) de um cabo com base no diagnóstico de fator de dissipação com tensão VLF (Very Low Frequency).

Além das estatísticas sobre o cabo, o software oferece uma recomendação de quando deve ocorrer uma nova medição e o momento ideal (com uma margem de segurança) para a substituição do equipamento. A solução é indicada para concessionárias de energia e instalações industriais que possuem, entre seus ativos, cabos isolados de média tensão. Além de promover mais confiabilidade à manutenção preditiva, o uso do software pode evitar despesas desnecessárias com a substituição de equipamentos em bom estado de conservação e operação.

2 comentários em “Solução projeta vida útil de cabos elétricos

  • janeiro 22, 2020 em 10:59 pm
    Permalink

    Ótima notícia, espero que tenha muito sucesso aqui no Brasil!

    É de suma importância a avaliação dos cabos elétricos.

    Será que existe soluções para baixa tensão?

    Resposta
    • janeiro 30, 2020 em 11:15 am
      Permalink

      Grato pelo comentário, Ulisses.

      Recomendamos que faça o contato direto com a empresa citada na matéria para ver como é a situação dos cabos de baixa tensão. Att.: Hilton Moreno.

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.