Buy Generic Minoxidil 15g Tablets Online Where To Purchase Rogaine 15g Tablets Online Compare Silagra Prices No Prescription Order Erlotinib 150mg Tablets Erlotinib Prescription Instructions

EXPOMAFE 2019

Feira ofereceu soluções competitivas para as pequenas empresas que desejam dar os primeiros passos em direção à indústria 4.0 e às maiores que escolheram migrar por etapas para a indústria digital.

Consolidada como a maior feira do seu segmento na América Latina, já na segunda edição, a Expomafe 2019 – Feira Internacional de Máquinas-Ferramenta e Automação Industrial, realizada de 7 a 11 de maio, confirmou a retomada da confiança e dos investimentos pela indústria brasileira. O evento, que aconteceu no São Paulo Expo em uma área 25% maior do que a estreia em 2017, atingiu a meta de atrair 55 mil visitantes profissionais.

A feira aconteceu num momento oportuno e atendeu a necessidade de a indústria nacional continuar modernizando seu parque, depois de anos de represamento dos investimentos. Inclusive, os primeiros movimentos neste sentido já puderam ser sentidos no início do ano: de acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), a receita líquida da indústria de máquinas e equipamentos cresceu 6% no primeiro trimestre, na comparação com mesmo período de 2018.

“Para reaquecer a economia precisa haver investimento. Nosso parque está desatualizado e na Expomafe os industriais encontraram o que há de mais moderno em tecnologia e inovação”, avalia João Marchesan, presidente do Conselho de Administração da Abimaq. “A feira deu aos empresários uma visão de tudo o que eles precisam para reduzir custos, ganhar produtividade e competitividade num cenário de reaquecimento da economia”.

Durante cinco dias, 750 marcas nacionais e internacionais apresentaram suas inovações em automação industrial, robótica, manufatura aditiva, prototipagem e impressoras 3D, equipamentos hidráulicos e pneumáticos, máquinas e equipamentos para o setor metalmecânico, máquinas-ferramenta, soldagem e corte, e muito mais.

Entre tantas inovações, José Velloso, presidente-executivo da Abimaq, destacou o alto grau tecnológico dos produtos e soluções apresentados pelas empresas expositoras. “A cada quadra da Expomafe, o visitante encontrou algum tipo de inovação. Tudo o que se vê nas grandes feiras internacionais do setor pôde ser visto aqui também”.

Um dos diferenciais da feira deste ano foi o espaço e a atenção concedidos para a Indústria 4.0, que se fez presente não só nos estandes dos expositores, mas também na quarta edição do Demonstrador de Tecnologias da Indústria 4.0 (veja a seguir).

Indústria 4.0

A indústria 4.0 já é uma realidade um todo o mundo e no Brasil há muitas oportunidades de melhoria nos processos produtivos, uso eficiente dos recursos e modernização do parque industrial. Para ajudar indústrias de todos os portes a avançarem na implementação da Indústria 4.0, a Expomafe 2019, a Abimaq e o IPDMAQ (Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico da Indústria de Máquinas e Equipamentos) pensaram e montaram a quarta edição do Demonstrador de Tecnologias da Indústria 4.0.

A realização do Demonstrador foi uma das atrações do Espaço Tecnologia em Evolução e trouxe como inovação um conjunto de “clusters” orientados para soluções tecnológicas, que demonstraram, na prática, as possibilidades para pequenas, médias e grandes empresas avançarem na indústria 4.0 por meio do aumento da produtividade. Participam do projeto empresas de máquinas e equipamentos, automação e controle, softwares de gestão empresarial, produção e processos, startups, centros universitários, agências e bancos de fomento.

Neste ano, o projeto (totalmente colaborativo) contou com o patrocínio do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES); patrocínio e realização das empresas Beckhoff, SKA, Advantech, Balluff, Instituto Cesar, Dassault Systemès, Furukawa Electric, Hexagon, Kuka, Metal Work, Romi, Sick, Siemens, Totvs, Prodwin e Tecmes; participação e apoio do Centro Universitário FEI, do Centro Paula Souza – Fatec, do Instituto Mauá de Tecnologia (IMT) e Senai- -SP; apoio das empresas GRV Software, Kaspersky, MT Connect, Schneider, VDI e Westcon; e a contribuição das startups Birmind, Peerdustry e Prognosys.

As soluções tecnológicas presentes no Demonstrador de Tecnologias da Indústria 4.0 foram divididas em dez “clusters” (formato inédito), com a participação de várias empresas em cada um deles, a saber:

Cluster 1: Manutenção Preditiva – Sistemas Pneumáticos

Cluster 2: Robótica Segura – Interação Homem-Máquina

Cluster 3: Sistemas Produtivos Inteligentes

Cluster 4: Qualidade 4.0 – Autonomia e Inteligência Artificial em Processos

Cluster 5: Manufatura Aditiva – Design Generativo

Cluster 6: Gestão Digital

Cluster 7: Virtualização na Indústria

Cluster 8: Ganhos com Dados Industriais

Cluster 9: Manutenção Preditiva – Processos de Usinagem

Cluster 10: Inteligência nas Máquinas

A inovação também ganhou destaque na Expomafe 2019 numa série de atrações e eventos integrados que ofereceram conteúdo de alto nível para prover a indústria de maior produtividade e competitividade.

O Espaço Tecnologia em Evolução reuniu atrações para ilustrar o passado e o futuro da tecnologia, e ajudar o visitante a compreender como ela tem evoluído ao longo do tempo e contribuído com o desenvolvimento industrial. Integraram esse espaço, além do Demonstrador, o Estande Temático e o RoboCoaster:

O Estande Temático tem como tradição e finalidade demonstrar a importância da máquina-ferramenta ao longo dos anos. Nesta edição, o foco foi o uso do maquinário na produção do motor Antoinette V8, aplicado no avião 14-bis de Santos Dumont, e do motor Durracq 1908, do Demoiselle. A réplica dos dois aeroplanos foi exposta.

Expositores

Para estreitar as relações entre a indústria brasileira e os fornecedores internacionais de tecnologia, a Expomafe 2019 contou com a presença de 40 empresas expositoras de nove países: Alemanha, China, Coreia, Espanha, Estados Unidos, França, Itália, Japão e República Tcheca.

Marco Basso, presidente da Informa Exhibitions (promotora e organizadora do evento), afirmou que esta é a feira que tem a maior oferta de tecnologia industrial na América Latina. “É um evento voltado aos apaixonados pela tecnologia”. Para o executivo, o sucesso da Expomafe é o sucesso de seus expositores.

A Kuka Roboter do Brasil, responsável por uma das grandes atrações do evento, o RoboCoaster – primeiro robô industrial licenciado para carregar pessoas – registrou a importância da feira. Segundo Edouard Mekhalian, diretor geral da Kuka, o número de visitantes e as oportunidades atingiram os níveis mais elevados. “Pudemos comprovar que o interesse do público em robótica é grande, o que nos deixou extremamente satisfeitos”. Mekhalian afirmou ainda que a empresa notou maturidade do mercado, quando este se mostrou mais preparado e com conhecimento prévio da necessidade em investir fortemente na área de automação industrial, com a utilização de robôs e demais tecnologias referentes à Indústria 4.0.

Sobre os diversos robôs demonstrados, o diretor disse que as máquinas estão cada vez mais eficientes, mais leves (com menos massa) e com maior vida útil. “A cada nova geração de robô da Kuka, por exemplo, o consumo de energia cai (em média) de 10 a 15%, com o aprimoramento das tecnologias mecânica, elétrica e eletrônica”.

Já a ABB apresentou na mostra soluções digitais de automação e robótica voltadas para a indústria do futuro, mas que já estão disponíveis no portfólio da empresa. “A quarta revolução industrial trouxe tecnologias digitais que proporcionam evolução real aos processos de manufatura, tornando as fábricas cada vez mais conectadas e inteligentes”, declarou Rodrigo Bueno, gerente da área de Robótica da ABB Brasil. “A robótica colaborativa, por exemplo, aumenta a flexibilidade e ajuda a incorporar mudanças de customização de produtos e muitas indústrias”.

A Pilz participou da mostra com soluções em automação industrial e relés de segurança. De acordo com Pedro Medina, diretor geral da empresa, a feira é ideal para o fortalecimento da marca perante os visitantes, já que atrai um público especializado. “Estabelecemos diversos contatos junto a profissionais com poder de decisão e potencial de negócios”.

Conforme Mairon Anthero, diretor administrativo da Schunk Inter-BR, a Expomafe tem grande importância para a empresa “Além de contar com as marcas mais renomadas do mercado, a feira traz um público tomador de decisão e interessado em novas tecnologias”. Mairon conta que, durantes os três primeiros dias, a empresa recebeu mais de 1.500 visitantes e mais de 450 leads. A Schunk, que trouxe lançamentos para aumentar o nível de automação na industrial metalmecânica, acredita em uma alta de 30% em vendas ante a edição anterior da feira. Entre os produtos da empresa, destacam-se os sistemas de garras e atuadores pneumáticos, placas de fixação de peças, e sensores de força e de torque.

“Tivemos um número expressivo de visitantes qualificados, que geraram muitas consultas e com grandes possibilidades de negócios, sendo que alguns foram concretizados na própria feira”, comemora Márcia Garcia, diretora de Soluções Robóticas da Yaskawa Motoman. Como a empresa demonstrou várias aplicações no estande, as demandas foram diversificadas, atendendo não somente o setor metalmecânico, mas também a indústria em geral.

Sob o lema “Digitalização na fabricação de máquinas-ferramenta – refletindo sobre os próximos passos da indústria”, a Siemens mostrou como suas soluções integradas de software e hardware possibilitam conexão entre o mundo virtual e o real para o desenvolvimento e a fabricação de produtos, contribuindo para aumentar a conectividade e a transparência de dados, além de reduzir o time-to-market de fabricação de máquinas e aumentar a produtividade em usuários finais.

Mercado

O presidente da Abimaq, João Carlos Marchesan, disse que a feira aconteceu num momento importante para a indústria, trazendo muita inovação e programação de alto nível, além de soluções de manufatura avançada. “O tema deste ano é urgência para crescer”, salientou, observando que o governo precisa fazer sua parte para a retomada do setor produtivo, como a redução do custo Brasil, reforma do sistema tributário e da Previdência, isonomia para a competividade com outros mercados e juros compatíveis, entre outras medidas.

De acordo com o dirigente, no mês de março, a receita líquida de máquinas e equipamentos se manteve estável em relação a fevereiro, ao passo que, no trimestre, o desempenho foi positivo, com um acréscimo de 6%. Segundo a Abimaq, o protagonista foi o mercado doméstico (+18%), cujas vendas ganharam participação no consumo aparente nacional. Para a entidade, o que se espera é que o setor atinja um faturamento acima do registrado em 2018, embora as taxas de crescimento, provavelmente, ainda serão menores.

ABB

A ABB destacou na Expomafe diversas soluções digitais de automação e robótica voltadas para a indústria do futuro, mas que já estão disponíveis no portfólio da empresa hoje. Um dos conceitos mostrados foi o da robótica colaborativa, que permite que máquinas operem ao lado de profissionais humanos para uma produção mais ágil e precisa. Um exemplo é o SafeMove2, uma solução da marca que permite a interação das pessoas com qualquer robô industrial no mesmo ambiente, sem grades de proteção, de forma segura e colaborativa. O fim das barreiras físicas vai permitir células robóticas mais enxutas, flexíveis e produtivas, o que resulta em ganho de tempo e produtividade. O YuMi (foto), primeiro e mais famoso robô verdadeiramente colaborativo de dois braços, também marcou sua presença no evento. Para mostrar toda a sua flexibilidade e rapidez, ele demonstrou ao público a resolução de cubos mágicos, mostrando in loco como se dá a interação homemmáquina e como são infinitas as possibilidades de sua programação e precisão.

Siemens

Com o objetivo de auxiliar indústrias a inserirem sua cadeia de produção no mundo digital, a Siemens apresentou uma série de soluções integradas para o setor. Utilizando o conceito de Digital Enterprise, a empresa demonstrou soluções práticas para digitalização na cadeia produtiva, desde o design do produto até a análise de dados de produção. Sob o lema “Digitalização na fabricação de máquinas-ferramenta – refletindo sobre os próximos passos da indústria” a Siemens mostrou como suas soluções integradas de software e hardware formam uma conexão perfeita entre o mundo virtual e o real para o desenvolvimento e a fabricação de produtos, contribuindo para aumentar a conectividade e transparência de dados, além de reduzir o time-to-market de fabricação de máquinas e aumentar a produtividade em usuários finais. As mais recentes inovações CNC para aplicações de fresamento e torneamento, máquinas de tecnologia mista, manufatura aditiva, robótica e até comissionamento virtual puderam ser vistas nos modelos SINUMERIK 828D e SINUMERIK 840D com telas modernas no formato 16: 9, funcionalidade multitoque e áreas de exibição adicionais, que permitem que a área expandida de telas maiores seja utilizada de maneira ideal.

Kuka Roboter do Brasil

Para demonstrar a interação entre homem e robô de forma prática, e também lúdica, a Kuka Roboter do Brasil levou para a Expomafe o RoboCoaster, um robô de entretenimento muito utilizado em parques de diversão e em eventos de grande prestígio. A empresa destaca que o RoboCoaster (foto) segue normas de segurança rígidas e específicas, justamente por carregar pessoas, com tecnologia desenvolvida pela Kuka na Alemanha há mais de 16 anos. Nos EUA, há mais de 100 unidades em operação, sendo que dez estão na Disney. Além dessa aplicação, e utilizando tecnologias similares, a solução pode ser aplicada na indústria, como exemplo, em simuladores de voo ou sistemas de posicionamento humano em ambientes instáveis. A Kuka também demonstrou uma aplicação de “bin picking”, uma das tecnologias mais modernas em sistemas de visão artificial, com uma câmera 3D interfaceada a um robô, que permite a identificação e pega de peças aleatoriamente dispostas, sem nenhuma indexação, ou seja, em posições desconhecidas. Além disso, a multinacional expôs dois modelos do LBR iiwa, robô sensível e colaborativo.

Nord Drivesystems

A Nord Drivesystems apresentou seu portfólio de produtos no segmento de motoredutores, redutores industriais e acionamentos eletrônicos. Os motoredutores compactos de eixos paralelos da Nord são especialmente adequados para a aplicação em espaços de montagem apertados. Com uma faixa de torque de 100 até 100.000 Nm, eles movimentam aplicações variadas, como agitadores, soluções para intralogística, transportadores de produtos a granel ou guindastes, no mundo todo. O princípio modular flexível permite que os redutores sejam configurados de modo personalizado e combinados com as soluções da Nord Drivesystems que suportam a Indústria 4.0. Grandes e robustos, com altas capacidades de carga e longa vida útil – estas são as características dos redutores industriais Nord para aplicações em serviços pesados. Eles se destacam pela alta capacidade de potência, funcionamento silencioso e máxima confiabilidade. Além disso, os pesos pesados da tecnologia de acionamentos oferecem um design modular e flexível, bem como diversas possibilidades de montagem. Por exemplo, a Nord possui flanges disponíveis para redutores industriais com torques nominais de 15 a 80 kNm, o que significa que quase todas as dimensões de conexão padrão podem ser adaptadas. Na imagem, um exemplo de redutor de eixo paralelo.

Isotron

Destaque para os Inversores de solda Isotron série IMF/IHF. A empresa observa que o sistema de controle envolvido em máquinas de solda por resistência é fundamental para garantir a qualidade da solda. Existem muitas variáveis associadas ao processo, sendo que as fundamentais são: corrente de solda, tempo de solda e força aplicada aos eletrodos. A família de inversores de solda da Isotron foi desenvolvida para prover um controle preciso ao usuário, com operação simples e intuitiva. Segundo a Isotron, a tecnologia envolvida é de solda em média/alta frequência, com muitos diferenciais positivos, quando comparada à tecnologia convencional em baixa frequência. Características gerais: alimentação trifásica 380VAC; 250 programas de solda (até dois pulsos cada); malha fechada com corrente do secundário; memória interna para armazenamento de soldas realizadas; arquitetura aberta de comunicação com dispositivos externos; IHM incorporada para programação dos parâmetros de solda (opcional IHM externa), etc.

Soma Sul

O grupo catarinense apresentou as gravadoras por micropuncionamento Technomark, leitores (foto) e sistemas de visão Cognex e sistemas de lubrificação da Graco. A Soma Sul possui 20 anos de experiência no setor de soluções industriais e trabalha com equipamentos de codificação industrial da MarkemImaje, detectores de metais, raio X e checadores de peso Loma Systems, sistemas de visão e leitores de códigos Cognex, gravadoras por micropuncionamento Technomark, produtos para automação da Mitsubishi Electric e automação eletropneumática da Festo. A Soma Sul possui mais duas empresas no grupo: a Datec, fabricante de equipamentos e automações, e acabou de criar a Soma Flux, que comercializa compressores de ar, bombas de vácuo, sopradores e centrais de lubrificação, além de prestar serviços de manutenção.

Pilz do Brasil

Pronta para atender à crescente demanda da Indústria 4.0, a Pilz do Brasil, multinacional alemã fabricante de produtos para as áreas de segurança e automação industrial, está expandindo seu portfólio e lançou na Expomafe 2019 a linha de produtos Service Robotics (robôs colaborativos). Os módulos de Robótica de Serviço da Pilz incluem inicialmente o braço robótico, o módulo de controle e o módulo de programação. Esses recursos são os diferenciais da nova linha, que conta com módulos ROS garantindo a operação segura e amigável, comissionamento rápido, com o princípio Plug-and-Play, e proporciona um trabalho seguro entre o homem e o robô. Desenvolvido para diferentes aplicações industriais, o braço robótico para carga de até 6 kg é muito utilizado em aplicações Pick & Place e para células modulares semiautomatizadas de robôs de pequeno porte na indústria. São certificados pela associação alemã de seguros de acidentes estatutários (DGUV), de acordo com a EN ISO 10218-1.

Yaskawa Motoman do Brasil

Destaque para os robôs da série GP, rápidos e compactos, e que oferecem controle aprimorado de aceleração/desaceleração para todas as posições do robô, resultando em produtividade aprimorada ideais para aplicações de montagem e manuseio de alta velocidade. Com um design moderno, um fino braço permite um espaço mínimo de instalação e minimiza a interferência com dispositivos periféricos. A instalação é rápida e eficiente. Um único cabo é necessário para conectar o manipulador ao controlador, resultando em fácil configuração, redução de despesas com manutenção e estoque de peças de reposição. São altamente eficientes, oferecem a maior carga útil, velocidade mais rápida e o maior momento permitido no punho em sua classe, podendo ser controlados pelo controlador da Motoman YRC1000 ou pelo controlador YRC1000micro. Dentre os modelos dessa linha, destaque para o GP8 (foto), com capacidade para cargas de até 8 kg (60% superior à versão anterior) e alcance horizontal máximo de 927 mm.

Comau

A Comau, empresa do grupo FCA, líder mundial em produtos e soluções de automação industrial, apresentou um mix de produtos e soluções que podem ajudar empresas de todos os tamanhos a potencializarem sua capacidade de manufatura inteligente e digital. Destaque para o exoesqueleto M.A.T.E – tecnologia vestível; Agile1500 – solução multifuncional para logística autônoma; in.Grid – plataforma IoT inovadora que correlaciona os ambientes digitais e físicos; e.DO, o robô de plataforma aberta para aplicações educacionais. A solução e.DO™ (foto) consiste de um kit robótico modular, flexível, compatível com aplicações leves da indústria 4.0. Foi projetado com conceito interativo, para qualquer pessoa que deseja explorar e expandir seu universo de robótica. Na prática, o e.DO™ pode manusear qualquer objeto (com até 1kg) e rodar qualquer aplicação compatível com os parâmetro de carga de trabalho e velocidade. Este robô compacto é a peça-chave de uma plataforma inovadora que a Comau acaba de lançar – chamada e.DO™ Experience – para estudantes, professores, profissionais da indústria e entusiastas de tecnologia. Esta plataforma promove uma nova abordagem de ensino, utilizando o robô e.DO™ como uma ferramenta para tornar as experiências de aprendizado mais práticas e estimular a participação criativa de todos os envolvidos.

Tramontina Pro

Ferramentas isoladas, antifaiscantes e para trabalho em altura, além de itens para personalização de oficinas e acessórios para limpeza profissional estiveram entre os destaques da Tramontina PRO na Expomafe. A linha de Ferramentas isoladas IEC 60900 (foto) inclui solução completa em ferramentas isoladas que ajudam indústrias de todos os portes a atender as exigências e requisitos da norma regulamentadora NR-10. Além disso, oferece total segurança para quem trabalha com eletricidade, pois segue os padrões de fabricação e controle da norma internacional IEC 60900 (equivalente à europeia EN 60900). É indicada para atividades em baixa tensão até 1.000 volts em corrente alternada e 1.500 volts em corrente contínua. Entre as ferramentas estão chaves fixas, combinadas, estrelas e ajustáveis, soquetes e acessórios, alicates, chaves de fenda e caminhão, mini arco de serra, facas desencapadoras de cabos e maletas para ferramentas. Todas as peças fabricadas pela Tramontina são submetidas a rigorosos testes de qualidade e isolação elétrica de 10.000 volts em corrente alternada.

Schunk

Entre as principais novidades da empresa, destaque para a nova linha de garras de custo baixo Schunk MPC (foto 1). Esse modelo de garra pneumática foi desenvolvido para linhas de produção de pequenos componentes, onde geralmente há uma alta exigência de custos baixos no desenvolvimento de linhas de manipulação. Esse novo modelo com a qualidade Schunk tem garantia de 2 anos ou 7 milhões de ciclos e está disponível em 6 tamanhos, de 16 N a 270 N de força, e curso de dedos de 5 mm a 30 mm. Já na linha de placas para tornos, a Schunk traz pela primeira vez ao Brasil sua mais nova placa de peso leve, Schunk NCE (foto 2). Por conta da redução de inércia de até 40%, gerase maior eficiência energética, dinamismo e baixo custo, resultando em maior produtividade na produção seriada em tornos CNC. Em comparação às placas convencionais do mesmo tamanho, a Rota NCE pode ser acelerada à velocidade máxima e então desacelerada 20% mais rápido devido ao seu peso reduzido.

Balluff

Com a sua tecnologia “Safety over IO-Link” (foto), a Balluff mostrou como a automação e a segurança podem ser eficientemente combinadas em um sistema global. A primeira solução de segurança integrada do mundo, via IOLink e PROFIsafe, está aberta ao nível do sensor, sendo simples de instalar e modernizar. Ambos os componentes de segurança Balluff e dispositivos de segurança de outros fabricantes podem ser conectados ao hub de segurança Profisafe usando o cabo padrão M12. Os Sistemas de visão foram outro destaque. Com um portfólio abrangente de produtos de visão de máquina, a Balluff fornece a resposta para os requisitos de produção em rápida expansão em termos de flexibilidade, produtividade e qualidade. O escopo deste produto abrange uma ampla gama de aplicações em detecção de objetos, identificação e garantia de qualidade – escalável com soluções de câmera única ou múltipla. A empresa também mostrou soluções como o Indicador SmartLight para aplicações Pick-to-Light e RFID – Módulos para Indústria 4.0.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.