RGE recebe premiação

A RGE foi uma das vencedoras do 26º Prêmio Expressão de Ecologia, concedido pela Editora Expressão, em função do projeto de iluminação eficiente desenvolvido em 70 prédios públicos no ano passado.

O projeto foi desenvolvido como parte do Programa de Eficiência Energética da distribuidora e substituiu 22 mil lâmpadas menos eficientes por tecnologia LED em 30 escolas públicas, 23 prefeituras e secretarias, 12 hospitais públicos, 2 sedes de órgãos de segurança e 3 associações assistenciais. A ação teve investimento de R$ 1,8 milhão.

O Prêmio Expressão de Ecologia foi criado em 1993 e é a mais relevante premiação do Brasil no setor empresarial. Anualmente, o prêmio reconhece ações de empresas e órgãos do poder público que visem a sustentabilidade nas suas ações. A premiação da edição deste ano será entregue no dia 2 de setembro na sede da Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC).

Projeto – Somados, todos os 70 prédios contemplados com as novas lâmpadas terão uma economia de R$ 715,8 mil ao ano nas contas de energia. Isso se deve à redução de 1.362,67 MWh/ano de consumo de energia elétrica e de 107,58 kW de demanda no horário de ponta. Utilizadas em larga escala desde o final do século XIX, as lâmpadas incandescentes e fluorescentes estão sendo eliminadas divido a sua ineficiência energética. Além de consumirem até 80% mais energia elétrica do que as tecnologias disponíveis no mercado, como o LED, essas lâmpadas iluminam menos e têm vida útil menor.

Cerca de 27% das lâmpadas encontradas nos prédios públicos que receberam a ação do ano passado eram incandescentes compactas. As demais eram lâmpadas fluorescentes T10 (20 e 40W) ou ainda as versões mais recentes de lâmpadas fluorescentes T8 (16 e 32W). Por isso, a aplicação de novas unidades com LEDs traz um ganho de potência e de iluminação para estes ambientes aumentando o nível de iluminamento com menor consumo de energia.

Muitas das lâmpadas recolhidas na substituição eram do modelo fluorescentes tubulares, que utilizam mercúrio em seu interior, ou seja, tóxicas ao meio ambiente e aos seres humanos. Sendo assim, a sua substituição por tecnologias de maior eficiência, como o LED, reduz este tipo de contaminação no futuro. Porém, devem ser acompanhadas de descarte adequado para evitar que sua liberação no meio ambiente ocasione danos. Este, inclusive, é um dos focos do projeto, no qual as lâmpadas recolhidas foram direcionadas para o descarte correto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.