Caderno da Instalação – Parabéns ao SENAI Oscar Rodrigues Alves!

ESCOLA TÉCNICA, CONSIDERADA REFERÊNCIA PELO MERCADO, COMEMORA 70 ANOS COM UMA SÉRIE DE EVENTOS PROMOVIDOS PARA DIVULGAR IDEIAS E TECNOLOGIAS INOVADORAS APLICADAS AO SETOR DE AVAC-R.

REPORTAGEM: CLARICE BOMBANA

Entre os dias 21 e 25 de maio, cerca de 1.500 pessoas participaram da maratona de comemoração alusiva aos 70 anos da Escola Senai Oscar Rodrigues Alves (SP), considerada polo de excelência na formação e atualização técnica de profissionais para a área de refrigeração e climatização.

Esta unidade de ensino iniciou suas atividades em 15 de abril de 1948, em prédio próprio, com o nome de Escola Senai do Ipiranga. Desde o início dos anos de 1990, a escola passou a especializar-se na área de refrigeração e ar-condicionado. Para tanto, buscou parceria com várias entidades representativas do setor, entre elas, a Associação Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Ventilação e Aquecimento (Abrava), Sindicato da Indústria de Refrigeração, Aquecimento e Tratamento de Ar no Estado de São Paulo (Sindratar-SP), Instituto Brasileiro do Frio (IBF) e Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee).

De acordo com Eduardo Macedo Ferraz e Souza, atual diretor do Senai Oscar Rodrigues Alves, há uma parcela de profissionais desse setor que atua na informalidade, isto é, sem qualquer formação e/ou capacitação. “A falta de qualificação é um dos graves problemas que podem impactar da qualidade do serviço prestado pelo profissional”, sublinha. “Toda empresa prestadora de serviço e profissional com visão de futuro e atento às inovações tecnológicas do setor necessitam participar de cursos e treinamentos. Também devem estar conscientes de que o investimento na capacitação profissional propicia a manutenção nesse mercado de trabalho, bastante competitivo e cada vez mais exigente quanto às melhores práticas de refrigeração e climatização”.

Hoje, o curso técnico de Refrigeração e Climatização do Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) tem por objetivo capacitar profissionais na elaboração de projetos de instalação de sistemas de refrigeração e climatização sob supervisão e na coordenação da execução da manutenção e da instalação dos respectivos sistemas, seguindo legislação e normas técnicas, ambientais, de saúde e segurança no trabalho, utilizando as boas práticas.

Sendo assim, a formação de profissionais pelo Senai para esse segmento contempla três áreas:

1) instalação e manutenção de sistemas de refrigeração residencial, incluindo o conserto de freezers e refrigeradores;

2) instalação e manutenção de sistemas de refrigeração comercial e industrial, envolvendo conhecimentos e habilidades para atuar com balcões de supermercados e frigoríficos, câmaras de conservação de grande porte e em fábricas de equipamentos; e

3) instalação e manutenção de sistemas de climatização residencial, comercial e automotiva.

Na visão das empresas, os requisitos necessários para a atuação do profissional de refrigeração e climatização no mercado de trabalho devem incluir, sobretudo, conhecimentos de eletricidade, manutenção, comandos elétricos, projetos de instalação, educação ambiental, eletrônica, informática, qualidade, instrumentação e termodinâmica.

“A importância do profissional do setor de refrigeração e climatização fica evidente quando observamos as inúmeras atividades em que suas ações melhoram a qualidade de vida das pessoas. Atualmente, não se concebem as atividades industriais, especialmente na área de alimentos, sem a presença desse técnico, que atende uma expressiva clientela potencial de empresas que buscam soluções para a instalação, manutenção, operação e controle de sistemas de refrigeração e climatização”, ressalta Eduardo Ferraz e Souza.

Além do curso técnico (gratuito), com duração de um ano e meio, a Escola Oscar Rodrigues Alves oferece curso de aprendizagem industrial mecânico de refrigeração e climatização, cursos de pós-graduação – em gestão de energia e eficiência energética em climatização, eficiência energética na indústria, projetos de sistemas de climatização e logística da cadeia do frio. Outras ofertas são os cursos de formação inicial e continuada, de curta duração. A escola possui 25 títulos de cursos de iniciação profissional, qualificação, aperfeiçoamento e especialização na área de AVAC-R (aquecimento, ventilação, ar condicionado e refrigeração). Os mais procurados relacionam-se à manutenção de refrigeração e climatização residencial, comercial, multi split e VRF (fluxo de gás refrigerante variável). Existem ainda duas escolas móveis específicas da área (climatização/refrigeração e climatização veicular) e o Centro de Educação a Distância do Senai-SP (EaD).

Além de cursos e treinamentos, a Escola Senai disponibiliza ao mercado serviços técnicos e tecnológicos, como:

1) consultoria e assessoria, voltadas à implementação de solução de problemas em empresas e instituições, visando a melhoria da qualidade e produtividade; e

2) eventos técnicos, como a realização de palestras, workshops, seminários, congressos e similares.

Em 2018, esta unidade do Senai realizou aproximadamente 5,5 mil matrículas. Atualmente, possui em torno de 600 alunos, considerando todos os cursos em desenvolvimento. Segundo o diretor da unidade, o planejamento do ano é efetuado em sintonia com as necessidades da indústria. “Observamos o princípio da empregabilidade, ou seja, os cursos devem propiciar a oportunidade imediata de emprego ou de requalificação para ingresso no mercado de trabalho.”

A Escola conta com uma área de 4.991 m², alojando laboratórios especializados em automação aplicada à refrigeração e climatização, eletricidade, termodinâmica, informática e uma série de oficinas, tais como: brasagem, instalação de equipamentos tipo Split, instalação de equipamentos tipo multi split, instalação de câmaras frigoríficas, climatização residencial, climatização por VRV/VRF, água gelada e veicular, refrigeração residencial, comercial e industrial, transporte frigorífico e comandos elétricos.

Os laboratórios possuem diversos equipamentos do setor de AVAC-R, com painéis didáticos, simuladores, sistemas de automação e controle, robô para limpeza de dutos, câmeras termográficas, medidores de energia e instrumentos diversos. A escola também abriga salas de aula para 18, 36 e 40 alunos e biblioteca com acervo específico da área de refrigeração e climatização. A fim de manter as suas instalações adequadas, acompanhando o desenvolvimento da tecnologia, além de investimento próprio, para complementar os recursos tecnológicos na área em que atua, a instituição possui parcerias e convênios com diversas empresas e instituições ligadas ao setor.

“No Brasil, o mercado de AVAC-R é promissor. A demanda não para de crescer, sendo motivada, principalmente, pela necessidade de geração e melhoria da infraestrutura, logística de armazenagem e transporte, construção civil e produção de energia”, afirma Ferraz e Souza.

Mulheres no setor

Assim como em alguns ramos da engenharia, a presença feminina no setor de AVAC-R ainda é muito pequena, mas está crescendo. Nos 70 anos da Escola Senai Oscar Rodrigues Alves, dos 260 mil profissionais formados, apenas 129 são mulheres.

“No entanto, é preciso pensar que o setor é um todo, formado não apenas por representantes da área técnica (engenheiros e técnicos), mas também por profissionais dos departamentos comercial, financeiro, marketing, comunicação, vendas, assistência técnica, metalúrgicos, entre outros”, cita Viviane Nunes, diretora-executiva do Sindratar-SP e presidente do Comitê Women In ASHRAE (WiA) no Brasil.

A ASHRAE (American Society of Heating, Refrigeration and Air-Conditioning Engineers) é uma associação profissional norte-americana que busca promover o projeto e a construção de sistemas de aquecimento, ventilação, ar-condicionado e refrigeração, com cerca de 57 mil membros em mais de 132 países. A entidade, responsável pelos guidelines internacionais do setor, criou o programa WiA – Mulheres na ASHRAE, com o propósito de incentivar a presença feminina no setor. Ao final de 2018, o ASHRAE Brasil Chapter, em parceria com o Sindratar-SP, membro do Comitê Nacional de Climatização e Refrigeração, identificou as mulheres pioneiras no setor. Foram localizadas 33 profissionais, que receberam o Prêmio ‘Agora é que são Elas – Mulheres no AVAC&R’. “Estamos identificando as mulheres do segmento, por Estado e por meio de pesquisa. Queremos firmar parcerias e convênios com outas associações e entidades, que tenham o mesmo propósito”, esclarece Nunes.

O WiA é seguidor dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU (ODS 2030), em especial ao 5º item, que prevê garantir a participação plena e efetiva das mulheres e a igualdade de oportunidades para a liderança em todos os níveis de tomada de decisão na vida política, econômica e pública. “Temos conhecimento de que algumas empresas do setor já firmaram convênio com a ONU Brasil. Aliás, no País, 80 companhias são signatárias do ODS 2030 e a tendência é aumentar o número de mulheres neste setor, mesmo que de maneira incipiente, e estamos trabalhando para isso, haja vista a criação da premiação ‘Agora é que são Elas – Mulheres no AVAC&R’, que dá forças ao protagonismo feminino”, finaliza a executiva.

O Evento

O evento de aniversário dos 70 anos da Escola Senai Oscar Rodrigues Alves, viabilizado pelo Sindicato das Indústrias de Refrigeração, Aquecimento e Tratamento de Ar no Estado de São Paulo (Sindratar-SP), teve início na noite do dia 21 de maio, com um jantar comemorativo, realizado nas instalações da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), que contou com a presença de Carlos Eduardo Trombini, presidente do Sindratar-SP; Paulo Skaf, presidente da Fiesp; Eduardo Macedo Ferraz e Souza, diretor da Escola Oscar Rodrigues Alves; Pedro Constantino Evangelinos, presidente eleito da Abrava, além de diretores de entidades e empresas do setor, apoiadores e patrocinadores.

No dia seguinte (22), nas dependências da Escola Senai, foram realizadas a solenidade de abertura do evento e reuniões técnicas do Núcleo de Recursos Humanos e do Conselho Consultivo, além da inauguração da exposição fotográfica permanente, “História em Imagens”, com curadoria do artista plástico Cildo Oliveira, que fará parte do acervo da Escola. Na sequência, houve a celebração do Prêmio “Agora é que São Elas – Mulheres no AVAC&R” – que destaca a participação feminina no setor de aquecimento, ventilação, arcondicionado e refrigeração, bem como a qualidade profissional no mercado de trabalho – , agraciando três mulheres que fizeram história na Escola: Beatriz de Fátima Soares, Natasha Siles Farina e Viviane Oliveira.

Na sequência, entre os dias 23 e 25 de maio, aconteceu o Hackathon Maker AVAC&R (que passou a integrar o calendário anual de eventos do setor), com a apresentação de projetos inovadores e palestras técnicas. Nesta primeira edição, a maratona de ideias inovadoras teve quatro desafios, lançados pelas empresas Chemours, Danfoss, Aeris Tecnologia e Escola Senai Oscar Rodrigues Alves. Sendo assim, quatro equipes foram formadas, com cinco integrantes cada uma, para trabalhar no desenvolvimento das soluções dos desafios, durante os três dias. A equipe We Ar, responsável pelo desafio proposto pela Chemours em desenvolver uma rede social especializada para profissionais do setor AVAC-R, foi a grande vencedora.

As palestras técnicas destacaram as principais tendências tecnológicas aplicadas no setor de AVAC-R. Alguns dos assuntos abordados: automação nos sistemas de ar-condicionado e o resultado da performance energética predial; soluções em sistemas com alta eficiência energética; efeitos da umidade nos sistemas de refrigeração comercial; boas práticas em instalações; refrigeração comercial conectada à eficiência energética e à segurança do sistema; climatização de data center; tendências do mercado VRF; tecnologia em fluidos refrigerantes; importância da climatização na qualidade do ar interior.

Os apoiadores

PATROCÍNIO: Bitzer, Chemours, Danfoss, Full Gauge, Heating Cooling, Stulz, Trane, RAC Brasil, Midea Carrier, Trox Technik, Aeris Tecnologia, Daikin, São Rafael, VL Indústria, Star Center.

APOIO: Abrava, Anprac, Asbrav, Ashrae Brasil Chapter, CNCR, Smacna Brasil, Sindratar-PE, Sindratar-RJ, Sindratar-RS, Sindiar, MMMM, Fenemi, SBCC, Abrafac, Abrasip, Abrinstal, BCA, Procobre, Sindinstalação.

APOIO DE MÍDIA: Revista Abrava – Climatização +Refrigeração, Revista do Frio, Revista Potência.

Formação profissional

CARLOS EDUARDO TROMBINI, PRESIDENTE DO SINDICATO DAS INDÚSTRIAS DE REFRIGERAÇÃO, AQUECIMENTO E TRATAMENTO DE AR NO ESTADO DE SÃO PAULO (SINDRATAR-SP) FALA SOBRE A IMPORTÂNCIA DO ENSINO SÉRIO E DE QUALIDADE PARA FORMAR PROFISSIONAIS E TÉCNICOS NA ÁREA DE AVCA-R.

Qual a importância da qualificação técnica na área de refrigeração e climatização? Existem profissionais que atuam no mercado sem a devida qualificação formal?

Os sistemas de climatização e refrigeração são fruto de históricos estudos e pesquisas nos cursos de engenharia e física e que resultaram nas tecnologias hoje disponíveis ao mercado. Dos sistemas de pequenas às grandes capacidades, é possível notar que conhecimentos técnicos específicos são aplicados na elaboração de projetos de produtos e de sistemas, passando pela instalação e culminando com a entrega à operação e manutenção. Desta forma, a qualificação dos profissionais é extremamente importante para entregar serviços de qualidade, não submeter sistemas e equipamentos a risco de falhas e prejudicar a segurança dos usuários.

Como está o movimento de qualificação profissional na área de refrigeração e climatização no Brasil?

Precisamos de mais… Precisamos tanto de cursos técnicos de aprendizagem como de graduação em engenharia. O Senai tem desenvolvido bem o tema em nível nacional, porém, é preciso que outras escolas de aprendizagem sejam criadas ou mesmo atualizadas, para que tenhamos padrões de excelência à disposição do mercado. Poucas são as instituições de engenharia que se dedicam ao ensino de climatização e refrigeração como especialização nos cursos de graduação. O que mais tem são cursos de pós-graduação ou cursos oferecidos por entidades de classe profissionais e empresariais, que não chegam a cobrir a carga horária necessária para atingir o esperado padrão de excelência.

Qual a importância do Senai nesse contexto?

O Senai cumpre o seu papel, que é iniciar o profissional no mercado de trabalho, dando a ele habilitação técnica através de seus cursos. A instituição segue o importante e nobre objetivo desde a década de 40, fornecendo para a indústria profissionais técnicos qualificados. Este é o passo inicial para quem quer chegar à faculdade e se graduar em engenharia.

De maneira geral, como está o nível de emprego no setor de refrigeração e climatização no Brasil?

O setor de refrigeração é dependente do que acontece com a construção civil ou mesmo com o que acontece no mercado de alimentos, entre outros. Climatização nos remete a conforto ou a processos fabris que necessitam de condicionamento do ar. Refrigeração está voltada para a produção de alimentos ou processos de armazenamento e estocagem de produtos que requerem condições climáticas de baixa temperatura. Ambas dependem de investimentos diretos na construção de edificações e em plantas fabris que possam demandar por nossos produtos e serviços. Como a atividade econômica ainda não atingiu níveis razoáveis de investimentos, o mercado de trabalho fica prejudicado, desfalcando um segmento econômico de grande expansão profissional como é o nosso. Mas essa situação é temporária, os investimentos retornando, voltaremos a ser um mercado promissor para os atuais e futuros profissionais.

Quais as perspectivas para o mercado de refrigeração e climatização no Brasil do ponto de vista dos negócios?

Quando o mercado brasileiro se expandia à ordem de 5% ao ano, os segmentos de climatização e refrigeração cresciam de 10 a 15%. Sabemos que voltar a este patamar de expansão levará algum tempo. A expectativa do setor é que voltem os investimentos na indústria da construção e que o consumo seja alavancado pela retomada do emprego advindo deste setor, que é altamente empregador.

Que avaliação o senhor faz dos 70 anos completados pela Escola Senai Oscar Rodrigues Alves?

Qualquer entidade que chegue a esta idade deve ser motivo de orgulho para todos nós. O Senai Rodrigues Alves ofereceu oportunidade para os mais de 260 mil técnicos que já passaram por seus cursos, e certamente gerará oportunidades para tantos mais. A escola vem cumprindo com êxito a sua missão de entregar ao mercado profissionais altamente qualificados e cidadãos para o Brasil. Meus parabéns a todos que a fizeram chegar até aqui e o nosso agradecimento especial à instituição por agregar competência e competitividade às nossas empresas e ao mercado em geral. Parabéns Escola Senai Oscar Rodrigues Alves!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.