Itron aponta desafios e convergências do setor

A similaridade dos desafios enfrentados pelas utilities (sejam de água, gás ou energia elétrica) e pelas municipalidades ganhou espaço entre as discussões que aconteceram durante o Itron Executive Forum Brazil, realizado em março, na capital paulista. O evento foi promovido pela norte-americana Itron, empresa de tecnologia, desenvolvedora de soluções inteligentes para concessionárias de serviços públicos.

“Hoje, a administração das cidades tem de gerenciar a iluminação pública (IP), por meio das concessões via Parcerias Público-Privadas (PPPs) com contratos de longo prazo, utilizando-se de recursos como o LED e sistemas de telegestão interconectados”, afirmou Helder Bufarah, diretor de Smart Cities da Itron. “Busca-se conectar as luminárias a um centro operacional de iluminação pública para fazer supervisão e controle do serviço. As facilidades agora são análogas aos do setor elétrico”.

Segundo Bufarah, a área geográfica da cidade é a mesma das utilities, e se existe uma infraestrutura para redes inteligentes, por que não compartilhá-la com os demais serviços? “Através de uma rede de conectividade é possível adicionar dispositivos que vão enviar informações a um centro de controle, de forma a agregar inteligência”, explica o executivo. “Através de uma mesma rede inteligente, que começa na iluminação pública, é possível monitorar luminárias, semáforos, volume de veículos, condições de vias, etc”.

Esta é a tendência para um futuro bem próximo, uma vez que já existe tecnologia escalável e voltada a multiaplicações, utilizando plataformas comuns, para viabilizar e operacionalizar essa convergência direta de objetivos entre as empresas verticais. Além disso, os órgãos reguladores devem se esforçar para que haja essa sinergia entre os diversos setores.

A Itron disponibiliza, por exemplo, soluções de infraestrutura para medição avançada (AMI), remota e bidirecional, soluções para automação da distribuição (manobra da rede remota e automaticamente) e soluções para gerenciamento do lado do consumidor (como, por exemplo, desligar algumas cargas na ponta). Entre seus clientes na área de energia, estão o Grupo CPFL e a Elektro.

“Por um lado, cada vez mais as concessionárias de energia elétrica estão tendo de aumentar sua eficiência operacional, pressionadas pelo órgão regulador. Por outro, temos um consumidor cada vez mais ativo em gerar sua própria energia e apto a interagir com a distribuidora por meio da tecnologia”, avalia Bufarah. “Tudo isso abre portas para a entrada no mercado de inúmeras soluções de gerenciamento de rede e consumo de energia”.

Um dos destaques da companhia é a tecnologia GenX, criada para melhorar a eficiência operacional das distribuidoras de energia elétrica através de processos automatizados. A solução é utilizada pela CPFL para consumidores comerciais e industriais nos estados de São Paulo e Rio Grande do Sul. No Sul, a RGE, que atende aproximadamente 3,6 milhões de consumidores, adotou recentemente uma expansão da GenX para gerenciar de forma rápida e eficiente a interrupção e restauração de serviços, diminuindo o desperdício de energia.

Com sede em Liberty Lake (WA), a Itron desenvolve soluções críticas de infraestrutura para cidades e concessionárias de serviços públicos em mais de cem países para mais de 8.000 clientes. Seu portfólio engloba serviços de redes inteligentes, softwares, medidores e sensores para uma melhor gestão de recursos e eficiência, como eletricidade, gás e água. Possui fábricas em 17 localidades do mundo e 200 milhões de módulos de comunicação instalados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.