SP sedia evento Connected Smart Cities e Mobility

Foto: CONNECTED SMART CITIES / DIVULGAÇÃO


De acordo com estimativas da MundoGeo, a cadeia prática do setor de drones (aeronaves não tripuladas)movimentará,em 2019, R$ 500 milhões, representando um crescimento de 25% e superando os mais de R$ 400 milhões do faturamento alcançado em 2018.


Pelos menos 70 mil Aeronaves Remotamente Pilotadas (Remotely-Piloted Aircraft – RPA) estão cadastradas no sistema da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), onde 44 mil são para uso recreativo e 25 mil para uso profissional. Os setores de drones e geotecnologias, que envolve os sistemas de posicionamento por satélite como GPS, satélites e aviões que monitoram a terra, as plataformas de coleta de dados e análise das informações, além da prestação de serviços, juntos, geram anualmente mais de R$ 1.5 bilhão em faturamento e empregam atualmente 100 mil pessoas, de acordo com projeções da MundoGeo. Nesse sentido, é necessário repensar o modelo de planejamento urbano das cidades considerando o atual contexto de transformação e que deverá permear a relação entre os agentes públicos e a população.


Com o objetivo trazer novas práticas mundiais para o desenvolvimento de cidades inteligentes, São Paulo recebe nos dias 17 e 18 de setembro o Connected Smart Cities e Mobility, iniciativas voltadas para smart cities e mobilidade urbana, respectivamente. Os eventos deverão reunir mais de 3 mil participantes, cerca de 500 palestrantes, especialistas nacionais e internacionais, mais de 200 prefeituras e exposição de empresas que atuam com soluções para esse setor.


“Entre os temas dos eventos, destacam-se mobilidade urbana aérea, geotecnologias e drones. No espaço Arena Drones, os participantes conhecerão na prática as aplicações dessas tecnologias para tornar as cidades mais seguras, conectadas e desenvolvidas para as pessoas. A programação dos eventos traz uma agenda estratégica dedicada ao tema e com abordagens fundamentais, como regulamentação, usos gerais e cases das cidades de São Paulo e Belo Horizonte”, disse a idealizadora do Connected Smart Cities e Mobility e diretora executiva da Sator, Paula Faria.


O CEO da MundoGeo, Emerson Granemann, que palestrará sobre o tema, cita que pensar as cidades sem considerar a importância crucial das geotecnologias e drones não é mais possível. “Levaremos para os eventos abordagens como: O Mercado de geotecnologias e drones no Brasil e no mundo e regulamentação; Plataformas orbitais, aéreas e terrestres para mapeamento das cidades; Geo e Drones na Indústria 4.0, com foco em smart cities, entre outros pontos. Sem dúvida, a geolocalização é a base para uma cidade inteligente, conectando diferentes disciplinas e ciências em benefício da população”, enfatiza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.