Autorização da Aneel para iniciar operação comercial

A UTE Parnaíba I é composta por quatro turbinas a gás de 169MW cada, totalizando uma capacidade instalada de 676MW. O investimento nesta primeira fase da usina alcança R$ 1,3 bilhão.

“A geração comercial da primeira turbina de Parnaíba I marca o início da operação daquele que será o maior polo de geração integrada a gás do Brasil”, ressalta Eduardo Karrer, CEO e diretor de Relações com Investidores da MPX, que completa: “Adquirimos o projeto há menos de dois anos, capitalizamos nossas sinergias com a OGX e criamos uma plataforma de negócios diferenciada”.

Parnaíba I começou a fornecer energia ao Sistema Interligado Nacional (SIN) em 19 de janeiro de 2013, em caráter de testes, tendo gerado aproximadamente 32 mil MWh no período. Com a aprovação da Declaração de Operação Comercial (DOC) da primeira turbina, esta passa a ser remunerada segundo os termos do Contrato de Comercialização de Energia no Ambiente Regulado (CCEAR) assegurado no leilão de energia A-5 de 2008.

O contrato garante receita anual mínima total de R$ 421,2 milhões (base: outubro de 2012), indexada ao IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo – IBGE) e, adicionalmente, receita variável destinada a cobrir os custos (combustível, operação e manutenção) incorridos quando a planta for despachada pelo Operador Nacional do Sistema (ONS).

O Complexo Termelétrico Parnaíba, localizado no município de Santo Antônio dos Lopes (MA), é um empreendimento pioneiro que integra a produção de gás natural à geração de energia. Com licença para alcançar até 3.722MW, a MPX está investindo mais de R$ 2,6 bilhões na implantação das fases 1 e 2, que entrarão em operação até 2014. Ao todo, o Complexo possui 1.556MW contratados por até 20 anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.