Como economizar energia com o fim do horário de verão

Na área de iluminação, por exemplo, substituir uma lâmpada incandescente por uma fluorescente compacta pode representar redução no consumo de energia de até cinco vezes, com economia mensal na conta de luz de R$ 2,70 por ponto. Já com o LED, a redução é ainda maior, podendo chegar, em um ano, a R$ 50,60 por ponto, economia de 90% frente à incandescente e 30% em relação à lâmpada eletrônica.

Mesmo com a conscientização sobre a economia de energia e o surgimento de tecnologias mais eficientes, 250 milhões de lâmpadas incandescentes ainda são consumidas anualmente no Brasil, segundo dados da Abilux (Associação Brasileira da Indústria de Iluminação).  Mas o LED está ficando mais acessível e se popularizando, tanto que a Abilux estima cerca de 500 mil unidades consumidas em 2012, o dobro do que foi adquirido no ano anterior. Segundo projeção da Lâmpadas Golden, cerca de 50% dos lares brasileiros usarão LED até 2017.

A duração do LED pode chegar a 14 anos (submetido a um uso de seis horas por dia de forma constante e adequada), o que significa uma variação entre 25 e 30 mil horas, dependendo do modelo. Uma durabilidade cerca de três vezes maior que a lâmpada fluorescente compacta, que dura oito mil horas, e é ainda mais expressiva quando comparada às 750 horas de vida média da incandescente.

Durante o tempo de vida mediana do LED, ou seja, ao longo de 14 anos, 42 lâmpadas incandescentes seriam trocadas. No mesmo período, estima-se que seria necessário substituir a fluorescentes cerca de quatro ou cinco vezes. “A quantidade de trocas também é influenciada pelas condições das instalações elétricas”, salienta o consultor de produtos da Lâmpadas Golden, Leandro de Barros.

Quando se coloca na balança a durabilidade e o consumo de energia, ficam mais evidentes as vantagens do LED frente às demais tecnologias. Com consumo seis vezes menor que a incandescente, é possível obter-se um retorno de investimento em 31 meses. Ao longo de toda a sua vida mediana, cada fonte de LED consumirá R$ 107,24, enquanto a fluorescente compacta chegará a R$ 160,86 e a incandescente a R$ 643,86 no mesmo período de 14 anos.

“Sob tais condições, apesar do elevado investimento inicial, o LED permitirá economizar R$ 1.157,52 durante toda sua vida útil”, calcula Barros. O especialista ainda explica que as lâmpadas incandescentes e fluorescentes geralmente queimam após o fim da sua vida útil, mas com o LED, isso não acontece. Depois das 30.000 horas de vida, ele somente perde 30% da sua luminosidade (fluxo luminoso).

O LED é uma tecnologia que está em constante pesquisa para melhorar a sua eficiência e que, assim como a tecnologia evolui, na medida em que o LED vai se popularizando, o seu preço abaixa. “Quanto mais o tempo passa, maior é a percepção de economia”, finaliza Barros.

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.