Leilão de energia

O preço médio do leilão ficou em 124,97/MWh – um deságio de 10,74% em relação ao preço inicial. O investimento na construção dos projetos será de aproximadamente R$ 5 bilhões.

A usina hidrelétrica Sinop (400 MW) foi concedida ao Consórcio CES – formado pelas empresas Alupar, Chesf e Eletronorte – a um preço final de R$ 109,40 o MWh.

As 34 concessionárias de distribuição que participaram do Leilão assinarão contratos de compra e venda com duração de 30 anos para os projetos hidrelétricos e de 25 anos para os empreendimentos a biomassa, válidos a partir de 1º de janeiro de 2018. O volume financeiro desses contratos alcançará R$ 20,649 bilhões durante a vigência. As usinas negociadas serão construídas nos estados da Bahia, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Piauí, Santa Catarina e São Paulo.

Em entrevista coletiva concedida após o certame, o presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Mauricio Tolmasquim, considerou o Leilão muito bem sucedido. Entre os pontos positivos destacados está a contratação apenas de fontes de origem renovável, incluindo pequenas centrais hidrelétricas e termelétricas à biomassa, que não vinham sendo negociadas há vários leilões públicos de energia.

A negociação de dois empreendimentos movidos a cavaco de madeira foi destacada pelo presidente da EPE: “Essas usinas são quase como térmicas a gás natural, pois podem ser acionadas para operar o ano todo, a qualquer momento, não dependendo de safra como no caso da cana-de-açúcar. O fato de o cavaco de madeira ter se tornado competitivo é um ótimo sinal”, observou Tolmasquim.

A negociação da UHE Sinop foi considerada estratégica, em virtude de o projeto contemplar reservatório de armazenamento que terá como função regularizar os níveis das outras hidrelétricas no rio Tele Pires. Para o 2º Leilão de Energia A-5/2013, agendado para 13 de dezembro, é projetada a participação de até seis projetos hidrelétricos: São Manoel (700MW), Cachoeira (68MW), Ribeiro Gonçalves (113MW), Itaocara (145MW), Ercilândia (87MW) e Foz do Piquiri (93MW).

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.