Parceria na América do Sul

Durante a solenidade, na margem direita da binacional, em Hernandárias, na fronteira com Foz do Iguaçu, a presidente Dilma Rousseff afirmou que a obra representa o fortalecimento do Mercosul e abre caminhos para novas parcerias entre os dois países.

“Essas parcerias não se restringem apenas ao comércio, mas a uma relação solidária com o nosso querido vizinho, que inclui o desenvolvimento e a promoção social”, disse Dilma, que completou: “Essa obra é a prova de que o Mercosul é forte e que, na nova América do Sul que estamos construindo, nossas economias serão mais interdependentes e colaborativas, em uma relação de ganha-ganha e com uma integração baseada no interesse recíproco”.

O presidente Horácio Cartes agradeceu pelo apoio e reforçou o compromisso de irmandade entre os dois países, ressaltando os vários interesses entre Brasil e Paraguai, não só na área de eletricidade, mas também nos mais diferentes segmentos, sobretudo o social. Cartes lembrou que no país vizinho vivem mais de 300 mil brasileiros, os chamados brasiguaios, que ajudaram na transformação econômica do Paraguai.

A obra de 500kV, segundo o presidente, representa um marco histórico para a transformação do Paraguai rumo ao desenvolvimento industrial. “A linha de 500kV é um feito tão impactante para nós, quanto foi a construção de Itaipu, símbolo da integração do Brasil e do Paraguai.”

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.