Robô para vistoria na usina nuclear de Fukushima

O robô foi desenvolvido para suportar as condições extremas encontradas no interior do prédio do reator. A AIST desenvolveu a plataforma de trabalho de rastreamento e a Honda foi responsável pela criação do braço robótico, instalado na parte superior da plataforma.

Para desenvolvê-lo, a fabricante aplicou os conhecimentos e tecnologias desenvolvidos originalmente para o ASIMO, o robô humanóide da empresa, incluindo a tecnologia de visualização em 3D; sistema de controle que permite a operação simultânea de diferentes articulações do braço robótico e o sistema de absorção de impactos.

Com estas tecnologias, o braço pode se aproximar de objetos de difícil visualização que estejam, por exemplo, mascarados em um ambiente estruturalmente complexo como o do prédio do reator. Por meio de uma câmera de zoom, de um telêmetro a laser e de um dosímetro localizado na ponta do braço, o robô transmite imagens detalhadas, coleta dados em 3D e identifica fontes de radiação.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.