Siemens recebe pedidos de um bilhão de euros

“Estes grandes eventos esportivos farão os holofotes do mundo se voltarem para o Brasil. Estamos ansiosos por jogos empolgantes, fortes emoções e pela chegada de visitantes ao nosso País. Seja em transporte, energia, meio ambiente, saúde, proteção ou segurança, queremos que nossas soluções de infraestrutura ajudem a fazer dos eventos um sucesso”, destaca o executivo, que completa: “As soluções que estamos fornecendo vão melhorar a qualidade de vida no Brasil para as próximas gerações e respaldar o desenvolvimento econômico do País no longo prazo. O Brasil está em um momento decisivo de seu desenvolvimento econômico, e estes grandes eventos vão acelerar as obras de infraestrutura que lançarão as bases de um crescimento sustentável”.

Não há dúvidas que grandes eventos como os campeonatos de futebol e as Olimpíadas são catalisadores de investimentos na infraestrutura dos países sede. Geralmente, apenas 10% a 20% dos investimentos totais vão para instalações específicas para os eventos, como estádios. Cerca de 80% a 90% são direcionados para a infraestrutura urbana e distribuídos pelo país todo – por exemplo, em novas ruas, sistemas de gerenciamento de tráfego, aeroportos, estações de metrô, sistemas de proteção e segurança, habitações, hotéis, instalações esportivas e mesmo novas usinas elétricas.

Um ponto a ser considerado é que aspectos como sustentabilidade, eficiência e impacto ambiental também são importantes critérios de seleção ao planejar investimentos em infraestrutura. Nesse sentido, a Siemens pretende contribuir para que os jogos no Brasil sejam realizados de maneira sustentável e eficiente em termos energéticos, seja através de soluções para os estádios, ou para a infraestrutura de abastecimento de água e energia, sistemas de proteção, segurança, saúde e transporte.

No Estádio Nacional Mané Garrincha, por exemplo, a empresa está fornecendo sistemas avançados de proteção, segurança e construção. Equipado com soluções energeticamente eficientes da Siemens, o Mané Garrincha é o primeiro estádio do mundo a buscar a certificação LEED platinum – a categoria mais alta da norma internacional de construção ecológica.

Em Manaus, uma das cidades-sede da Copa do Mundo 2014, a Siemens e suas parceiras estão construindo a usina termoelétrica (UTE) de ciclo combinado Mauá 3, que ajudará a atender às necessidades de energia da região, que vêm crescendo rapidamente, ao mesmo tempo em que aumentará a estabilidade de seu sistema de fornecimento de energia. Com capacidade instalada de 580MW, ela será uma das maiores usinas a gás da região e substituirá um grande número de geradores a diesel.

No Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, a empresa está instalando soluções de fornecimento de energia para o novo terminal de passageiros TPS3. A capacidade do aeroporto está em processo de ampliação para atender o aumento na demanda de passageiros no ano da Copa do Mundo – a previsão é que cerca de 40 milhões de pessoas passem pelo aeroporto em 2014, contra aproximadamente 33 milhões em 2012.

Para ajudar a suprir as necessidades energéticas do aeroporto, a Siemens está fornecendo sistemas de média e baixa tensão e um transformador que ligará a nova estação transformadora à rede elétrica atual do aeroporto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.