Soluções da Osram dobram nível de iluminação do Estádio Pituaçu (BA)

A empresa responsável pelo novo sistema de iluminação é a Osram, que, por meio da Siteco Lighting, ofereceu soluções que têm um nível de iluminação duas vezes maior que o sistema anterior, superando os índices exigidos para transmissões televisivas e beneficiando os espectadores nas arquibancadas.

O projeto faz parte do programa de eficiência energética da Coelba – Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia, regulado pela Aneel e faz parte da parceria com o Governo do Estado da Bahia. A companhia contratou a Ecoluz para executar a obra com o objetivo de ampliar a eficiência energética do estádio, reconhecido por ser o primeiro da América Latina a gerar e utilizar 100% de energia solar fotovoltaica conectada à rede da distribuidora.

De acordo com a Coelba, a medição dos 192 projetores antigos apresentava iluminância média de 553 lux na horizontal e 597 lux na vertical, bem como a falta de homogeneidade no campo, que chegou a apresentar, no centro, 960 lux e nas extremidades 280 lux. Isso acontecia porque o conjunto anterior era composto por lâmpadas tubulares com grandes dimensões e refletores de formato retangular, dificultando a visualização dos jogos.

A iluminação também era prejudicada pelos ângulos e distribuição dos projetores, não calculados especificamente para o estádio. Estas características implicavam na quantidade excessiva de projetores para a garantia do fluxo luminoso mínimo que atendesse às necessidades do campo de futebol.

O novo projeto, que corrigiu as falhas, reúne reatores do modelo 5NA77921VR10, 112 projetores R3 MAXI e as lâmpadas HQI-TS 2.000W/D/S HF, de tecnologia de vapor metálico da Osram. Após a implantação do sistema, em média, são gerados 1.200 lux de iluminância, índice acima da qualidade exigida para transmissão televisiva, que é de 1.100 lux. A solução possibilita ainda uma fácil substituição de lâmpadas, contribuindo para a rotina de manutenção, além de reduzir o consumo de energia em 50% do valor previsto com a mesma iluminação.

O projeto foi avaliado de acordo com recomendações apresentadas no Protocolo Internacional para Medição e Verificação de Performance (PIMVP). O consumo aferido antes da ação era de 125,96MWh/ano e, após o término dos trabalhos, passou a 92,75MWh/ano. Porém, a comparação para o cálculo da economia deve analisar as mesmas condições operacionais, oferecendo uma quantidade de iluminância (lux) idêntica. Portanto, para atingir os 1.200 lux, ou seja, o respectivo nível de iluminância do novo sistema seriam necessários 333 projetores do modelo antigo, que consumiriam 218,54MWh/ano.

“Por sua vasta experiência em projetos esportivos, como a Arena Corinthians, o estádio alemão Allianz Arena e outros ao redor do mundo, a Osram instalou projetores com o design mais apropriado à aplicação em estádios abertos, com ótica de precisão, alta tecnologia e quatro distintos ângulos de abertura para melhoria do rendimento do fluxo luminoso”, explica Marcos Ellert, gerente nacional do Canal OEM, Infraestrutura e Cidades.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.