Purchase Januvia Order Daklinza 60mg With Prescription Buy Micardis No Prescription Rogaine Visa Buy Tarceva In The Uk

Usina solar no Distrito Federal

A Shizen Energy, startup japonesa de energias renováveis, e a Espaço Y, empresa brasileira de empreendimentos imobiliários, anunciam o início da construção de sua primeira usina de energia solar no Brasil, no Distrito Federal. A planta, localizada no núcleo rural de Capão Seco, em Paranoá, começará fornecendo 1,1 MW para a população de Brasília e cidades satélites.

A Shizen Energy acredita nas potencialidades do mercado brasileiro de energia e, por isso, deu início às suas operações no país em 2018 e iniciando, em seguida, uma parceria com a Espaço Y. Os primeiros frutos desse trabalho são o desenvolvimento de um projeto piloto de geração de mais de 20 MW de energia solar, com operação comercial prevista para o final do primeiro semestre de 2019.

“A expansão global é um dos passos para alcançar nosso compromisso de transformar o mundo. O desenvolvimento de matrizes energéticas sustentáveis é a nossa maneira de criar energia para o futuro e, mais importante, mudar o modo como as pessoas e as organizações usam esse ativo”, disse Ken Isono, um dos fundadores e CEO da Shizen.

Os compradores do projeto de 1,1 MW da Shizen Energia serão registrados em um sistema remoto de medição líquida patrocinado pelo governo do Distrito Federal, podendo usufruir de tarifas com desconto. O regulamento permite a operação remota das instalações, ao passo que o sistema de medição líquida compensa o consumo de eletricidade dos compradores em relação à geração da usina. Qualquer energia adicional produzida pela usina fotovoltaica é registrada como crédito, que pode ser usado para compensar o uso de energia dos compradores.

O Brasil está entre os 10 maiores consumidores de eletricidade do mundo, apresentando um perfil positivo de aumento da demanda nos próximos anos. A energia renovável representa 80,3% da capacidade instalada de geração de energia, tendo como principal fonte a energia hidrelétrica. No entanto, o forte apoio político tem promovido outras tecnologias, como a energia eólica e a solar, que estão se desenvolvendo rapidamente desde 2012.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.