Atenção à queda de tensão

Quando se projeta uma instalação elétrica é preciso considerar a capacidade de corrente elétrica dos condutores, em ampère, uma condição até que bastante conhecida pelo público geral. Entretanto, existe um detalhe que nem sempre quem vai fazer a instalação leva em consideração: a queda de tensão.

Vamos aos fatos. A queda da tensão elétrica faz com que não se tenha na tomada a tensão correta, ou em um ponto de iluminação. Por exemplo, em circuitos longos, se a queda de tensão for muito significativa, pode ocorrer de equipamentos eletrônicos não ligarem, o chuveiro elétrico não aquecer como deveria, luzes ficarem fracas, etc. Isso ocorre devido ao consumo de energia e ao comprimento do condutor, ou seja, comprimento do circuito elétrico. Assim, quanto mais comprido é o circuito, maior a queda de tensão.

Para resolver a questão é necessário utilizar um condutor elétrico de seção maior. Reforçando que em circuitos longos, muitas vezes o fio precisa ter uma seção nominal muito maior para reduzir a queda da tensão. A norma NBR 5410 – Instalações Elétricas de Baixa Tensão define que a queda de tensão máxima permitida em um circuito terminal é de 4%.

Na Tabela do Eletricista disponível no site da SIL Fios e Cabos Elétricos (http://www.sil.com.br/pt/eletricista/tabelas.aspx) é possível consultar a forma de fazer o cálculo correto da queda de tensão para os circuitos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.