Cuidando da rede de distribuição doméstica

Ao conectar um aparelho eletroeletrônico em uma tomada, é provável que você nunca tenha refletido sobre o caminho que a eletricidade percorreu e quais medidas foram tomadas para que você e seus aparelhos fiquem sempre seguros.

O avanço tecnológico nos permite agilizar etapas, mas refletir sobre o que está na origem das coisas é o que nos mantêm alertas para as inúmeras adversidades adiante para as pessoas e o mundo que vivemos.

Um bom exemplo da eficiência desse exercício mental está no início do percurso da eletricidade, ou seja, nas matrizes energéticas, que podem ser petróleo e derivados, carvão, gás natural, nuclear, hidráulica, derivados da cana, lenha e carvão vegetal, lixívia e outros renováveis e não renováveis.

Segundo a Empresa de Pesquisa Energética (EPE), o Brasil usa mais fontes renováveis para obter energia do que a média mundial, mas por outro lado, também usa mais fontes não renováveis.

Veja que o simples comparativo dos dados nos coloca a importância de preservar os recursos naturais e a necessidade de aumentar o potencial de fontes renováveis como a solar e a eólica.

É o início de uma conscientização não só pessoal, mas que de forma organizada ganha relevância por meio de iniciativas da sociedade civil organizada, empresas e os diferentes níveis de administração pública.

Retornando às casas e apartamentos, a conscientização sobre o funcionamento e os cuidados necessários na rede de distribuição elétrica residencial vai nos permitir um melhor controle de eficiência no consumo e principalmente de proteção.

Em primeiro lugar, nunca execute serviços nas instalações por conta própria. O faça-você-mesmo pode ser interessante na decoração, mas não se aplica em elétrica, sobretudo quando não há conhecimento sobre os princípios e as normas dessa área.

Um reparo, por menor que seja, pode ser fatal ou implicar em problemas futuros que vão necessitar de um investimento adicional para correção ou até mesmo provocar acidentes, quando não há mais tempo para ações corretivas.

Sempre procure profissionais eletricistas treinados e capacitados, o que vai garantir a correta aplicação das normas no dimensionamento da sua instalação. Embora seja um serviço terceirizado, isso não significa que você precisa se ausentar do processo.

É a partir das suas necessidades que o profissional vai definir se será um circuito monofásico ou bifásico, calcular os circuitos de tomadas gerais e de iluminação, além de prever pontos de uso específicos para aparelhos de grande demanda, como o ar-condicionado ou micro-ondas.

É pela necessidade de garantir a segurança dos familiares e bens pessoais que o profissional vai especificar o uso de dispositivos no quadro e painel elétrico como os minidisjuntores, IDRs e DPS, seguindo os parâmetros da norma ABNT NBR 5410.

Essa é a proteção mais eficaz contra sobrecargas, choques elétricos, fugas de corrente e descargas atmosféricas, mas uma vez instalados pelo profissional eletricista, você também não deixa de fazer a sua parte tomando atitudes e mudando hábitos.

Se você acabou de alugar um imóvel antigo, o primeiro passo é acionar um profissional para revisar a instalação. Muitos desses imóveis nunca passaram por um retrofit, e provavelmente vão contar com quadros, dispositivos, cabeamentos e tomadas fora dos padrões vigentes das normas – isso se em algum momento estiveram regidos sob elas.

Seja um imóvel antigo ou novo, nunca oculte o acesso aos quadros por meio de móveis ou outras superfícies, e nem pense em deixá-lo em áreas frequentemente úmidas como o banheiro. Instalações a gás também precisam estar a uma boa distância deles.

O dia a dia em casa é fundamental para o sucesso da distribuição. É no acionamento de aparelhos, como iniciamos esse artigo, que podemos iniciar até mesmo um incêndio sem a devida prudência e proteção.

O maior cuidado está em eliminar e não criar novas gambiarras, como por exemplo o uso indiscriminado de benjamins, extensões e filtros de linhas, ultrapassando as correntes nominais desses acessórios.

Um cuidado adicional é organizar fios e cabos elétricos por meio de organizadores espirais, abraçadeiras ou canaletas. Cabos expostos estão suscetíveis aos mais diversos danos que comprometem sua vida útil e podem causar acidentes.

A compreensão da importância da rede de distribuição doméstica e as necessidades dela nos leva a uma maior compreensão de como aumentar a segurança daquilo que conquistamos e daqueles que amamos.,

Escrito por Ricardo Martuchi, especialista em produtos da Steck Indústria Elétrica

3 comentários em “Cuidando da rede de distribuição doméstica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.