História da Energia e Saneamento

Imagens históricas, curiosidades sobre construção e preservação da energia e saneamento do estado de São Paulo, dicas e explicações para criar composteiras e hortas, experimentos divertidos e inusitados: tudo isso por ser encontrado no perfil do instagram @museudaenergia, com mais de cinco mil seguidores. Todos os conteúdos produzidos envolvem os temas que a entidade trabalha: água, iluminação, saneamento e recursos naturais.

Na websérie “Quem foi Dona Ignácia?”, dividida em episódios no IGTV, é possível acompanhar as curiosidades do Museu da Energia de Itu com a narrativa de uma irreverente personagem que interpreta a anfitriã Dona Ignácia Correia Pacheco, a mais antiga moradora do casarão, onde está localizada esta unidade e uma das poucas mulheres empreendedoras no século XIX.

A personagem leva os seguidores para conhecer cada centímetro do casarão e entender o que é “pau a pique” ou “azulejos portugueses”, mostrar as formas de iluminação e descarte de lixo no século 19, entre outros diversos conhecimentos interessantes que o local abriga.

Dos livros didáticos para experiências e aplicações concretas, o educador do Museu da Energia de Salesópolis explica e apresenta de maneira simples em Reels temas como “lei da Inércia”, “ciclo hidrológico”, ou “como a energia chega em nossa casa”.

No período da pandemia em que as três unidades do museu precisam permanecer de portas fechadas, vários conteúdos com oficinas, principalmente destinadas ao público infantil, chamaram atenção de professores de todo Brasil. Alguns deles são: “construindo um pluviômetro”, “como fazer um terrário em casa, utilizando materiais recicláveis”, e “como fazer uma catapulta”.

“As unidades do Museus da Energia oferecem aos visitantes e ao público, através das redes sociais, atividades e curiosidades culturais voltadas para todas as idades, e que reforçam conceitos de cidadania, explorando tais questões por abordagens históricas, científicas e sociais. Promover o debate sobre como serão as cidades do futuro, sempre olhando para as experiências do passado, é um dos objetivos da Fundação, que vê a necessidade de que a sociedade e comunidades locais participem desses diálogos, contribuindo de forma ativa nas decisões sobre o mundo que desejamos deixar para as próximas gerações”, finaliza Mariana de Andrade, Coordenadora de Projetos e Produção Editorial da Fundação Energia e Saneamento.

Acervo que ganha vida – Em dezembro de 2019, o projeto “Documentação e Transferência do Acervo Museológico da Fundação Energia e Saneamento” foi uma das 11 iniciativas premiadas através do Edital “Modernização de Acervos de Museus e Arquivos” uma iniciativa do Programa de Ação Cultural (ProAC) da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo.

A coleção reúne uma variedade de itens – desde modelos de luminárias a gás do final dos 1800, a lâmpadas utilizadas na iluminação pública de cidades paulistas no início do século 20; variados eletrodomésticos, incluindo alguns dos primeiros aparelhos importados ao Brasil, na primeira metade do século 20. O acervo ainda reúne também equipamentos e ferramentas usados em sistemas de energia, como um escafandro, da década de 30, usado na manutenção subaquática de usinas elevatórias no Rio Pinheiros.

“Por meio da história da energia e do saneamento no Brasil, é possível compreender parte importante da história do nosso País e acompanhar o que está acontecendo hoje. E, claro, contribuir para as reflexões e projeções para o futuro”, afirma Rita Martins, diretora-executiva da instituição.

4 comentários em “História da Energia e Saneamento

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.