Oscilação de energia pode quebrar equipamentos

Os desperdícios de tempo na construção civil causam impactos nos cronogramas dos projetos e ainda podem representar prejuízos. Com números expressivos, o setor – que tem representatividade na economia brasileira – muitas vezes sofre com perdas que comprometem o orçamento e exigem retrabalho, podendo levar a atrasos na entrega e até alterar a qualidade do projeto.

Um dos desperdícios que mais prejudicam a construção civil acontece na área de equipamentos e maquinários. Os motivos podem ser o mau planejamento logístico, falhas na gestão de mão de obra e máquinas paradas, por atraso de serviço ou quebra. Para ganhar eficiência, uma das alternativas é a escolha de equipamentos – como betoneiras, guincho de coluna, misturador de massas, máquina de tijolos ecológicos, agitador de tintas, compactador de solo e politriz de pisos – que possuam motores elétricos dedicados, adequados a ambientes agressivos e que suportem a variação de tensão.

Segundo Drauzio Menezes (foto), diretor da Hercules Motores Elétricos (empresa especializada em motores para diversos segmentos, como construção civil, alimentício, agrícola, industrial, entre outros) muitas construções – mesmo das grandes metrópoles – sofrem com a interrupção do fornecimento de energia devido a fortes chuvas, queda de galhos e árvores nos cabos da rede elétrica, fiação fora do padrão exigido e também por causa da instabilidade energética, que ainda é muito comum em determinadas regiões do Brasil. “Diante deste cenário, torna-se fundamental que os construtores invistam em equipamentos que possuam motores modernos e tecnológicos, elaborados especificamente para trabalharem com a oscilação de tensão, como os desenvolvidos pela Hercules Motores, com Clik Rural, que atendem a tensões de 110-127 V; 220-254 V e de 440-508 V”.

Ele explica que esses motores elétricos possuem componentes que quando acionados podem receber uma grande quantidade de energia, correndo o risco de queimar: “Por isso desenvolvemos o SHP (sistema Hercules de proteção de partida), cuja função é proteger o capacitor e os enrolamentos desses picos de corrente, evitando que queimem. Além disso, esses motores também possuem carcaça de alumínio e pés removíveis, e foram desenvolvidos conforme a curva de torque exigida pelo equipamento, que é testado em laboratório para melhor desempenho no canteiro de obras”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.