Temperatura de cor é importante na escolha da lâmpada LED

O mercado de iluminação apresenta diversas opções de lâmpadas LED, seja em potência, modelos, eficiência luminosa ou faixas de consumo. No entanto, há uma característica que pode fazer a diferença no que se refere ao conforto visual e ao rendimento físico e mental dentro de um ambiente: a temperatura de cor.

Mas o que é temperatura de cor? A equipe técnica da fábrica de materiais elétricos da Tramontina explica que esse termo teve origem em um experimento de um físico – Kelvin, daí seu nome na escala de temperatura de cor representada pela letra “K”. Ele aqueceu um bloco de metal, que mudou de cor durante o processo de aquecimento e isso originou as temperaturas conhecidas.

A primeira cor que se apresentou com o aumento da temperatura do material metálico foi a cor vermelha, passando ao tom amarelado, esbranquiçado e, finalmente, à azulada. A cada estado e cor do material, Kelvin observava a temperatura e, com isso, montou a escala de temperatura de cor, relacionando as temperaturas iniciais: por volta de 3000K, a cor amarela, depois pelo tom esbranquiçado/neutro, em torno de 5000K; e, finalmente, a cor azul, por volta de 6500K.

Mas, por que cor quente ou fria? De acordo com a Tramontina, isso vem da sensação que a “cor” da luz nos transmite, ou seja, a mais amarela nos remete à luz da vela ou incandescente, que são quentes; e a branca às lâmpadas fluorescentes ou de descarga, que eram chamadas de “lâmpadas frias” – e pode ser entendido como a variação da cor desta luz emitida pela lâmpada LED. Quanto mais branca ou mais azul, mais fria. A mais amarela é considerada mais quente. As cores se relacionam com “sensações transmitidas pela luz” e não com o que fisicamente representam, pois as temperaturas físicas em “Celsius” não variam.

É sabido que do efeito que a luz exerce sobre as pessoas, e se observarmos a iluminação dos ambientes, poderemos perceber que cada cor cabe em um diferente ambiente, por exemplo, em escritórios, consultórios, hospitais, indústrias, locais de estudo, em geral, possuem lâmpadas que emitem luz branca, enquanto, quartos, salas de estar e outros locais de relaxamento utilizam, em geral, luz amarela.

Outra característica pelas quais podemos aplicar e usar estas cores vem da posição do sol durante o dia, onde a luz branca, por ser mais aproximada à luz do sol no nascer do dia até o meio dia, está ligada ao período de maior produtividade, rapidez, dinamismo físico e mental, enquanto ao entardecer as cores mais amareladas do pôr do sol nos remetem ao conforto de nossas casas e ao relaxamento.

Com as lâmpadas LED, diferenciar as opções disponíveis ficou mais fácil, assim como escolher a melhor temperatura de cor para cada ambiente, de acordo com sua finalidade. Tanto nas aplicações funcionais como em projetos de decoração, a temperatura de cor será um fator determinante na adequação do espaço, no efeito que se quer alcançar sobre as pessoas e mesmo na valorização do ambiente.

A Tramontina lembra, no entanto, que todo projeto luminotécnico deve ser corretamente dimensionado e realizado por profissional habilitado. A empresa conta com lâmpadas LED de diversos modelos, com diferentes temperaturas de cor, incluindo as versões bulbo, UFO, LOWBAY, GU10, PAR, Tubo, além de plafons, refletores e luminárias também de LED, que são aplicáveis nos mais variados ambientes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.