Como funciona o financiamento para energia solar

As fontes de energias renováveis no Brasil não param de crescer. Atualmente, o país integra a lista dos 20 países com maior capacidade instalada operacional em sistemas fotovoltaicos. Segundo dados da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), a Geração Distribuída (GD) cresce a uma taxa média de 230% ao ano. De 2019 até agora, o Brasil passou de apenas 1 GW de potência instalada de GD proveniente de fonte solar, para 3 GW.

Créditos: Shutterstock

Já com relação à Geração Centralizada (GC), também há crescimento expressivo. O país registra uma potência instalada de aproximadamente 3 GW, equivalente a 1,6% da matriz elétrica brasileira. Os investimentos em energia solar também bateram recordes em 2021 e somaram mais de R$21,8 bilhões, o maior valor já registrado em um ano, segundo a Absolar. O valor é 49% maior do que o registrado em 2020.

A Agência Internacional de Energia (IEA) trouxe a perspectiva que o uso de energia solar no mundo poderá chegar a 30% em 2022, já que a distribuição global de sistemas de energia solar tem crescido muito nos últimos anos e vem sendo impulsionada por contínuas reduções de custos, podendo então estimular o crescimento das energias oriundas de fontes renováveis e estabelecendo novos recordes para implantação em cada ano, de 2022 a 2040.

De acordo com Anthony Saieg, sócio-diretor da Oito Energia Solar, o mercado está evoluindo e tem muito a crescer, principalmente porque os sistemas fotovoltaicos permitem que a geração de energia se torne descentralizada. Isso significa que consumidores que antes apenas consumiam energia, agora podem se tornar geradores. Isso proporciona melhoria expressiva das redes de distribuição, que precisam se tornar mais modernas e inteligentes, com melhor resposta à demanda, redução de perdas e aumento de qualidade da energia.

O que aumentou também foi a busca por financiamento para energia solar. Segundo Saieg, desde a criação da empresa, a busca de pessoas querendo instalar sistemas fotovoltaicos com financiamento cresceu cerca de 30%. Mas, afinal, como funciona o financiamento para energia solar?

“O investimento necessário para instalar um sistema de energia solar varia de acordo com o uso de cada residência, podendo assim, ser relativamente alto dependendo do consumo. Mas ele se torna extremamente acessível utilizando o financiamento para energia solar. Com ele, o cliente consegue manter a parcela do financiamento equivalente ao mesmo valor que pagava na sua conta de energia, não alterando o seu gasto mensal nesse período. Mas após a quitação do mesmo, o cliente observa o seu orçamento ser reduzido aproximadamente em 90%, e claro, além de ajudar o meio ambiente”, afirma Anthony Saieg.

A Oito Energia Solar tem parceria com diversas instituições financeiras para aprovar o crédito e realizar a operação para os clientes que desejam instalar o sistema solar. O financiamento cobre até 100% do projeto com até 7 anos para quitar o crédito. Para o cliente, além de conseguir um financiamento com cobertura de 100% do projeto, as taxas de juros são baixas e a Oito Energia Solar conta com especialistas que podem fazer um projeto sob medida para os clientes, o que torna o processo mais assertivo e econômico.

“O prazo médio do financiamento escolhido pelos clientes é de 2 a 4 anos, que normalmente é o tempo necessário para equiparar a parcela com o consumo de energia mensal do cliente. Mesmo que o cliente opte por um prazo de pagamento mais longo, as vantagens do financiamento para energia solar ainda são perceptíveis em curto prazo, visto que normalmente é um trâmite consideravelmente rápido e o resultado é imediato após a instalação. Ou seja: uma solução instantânea, com resultados definitivos”, finaliza Saieg.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.