Nova regulamentação para equipamentos fotovoltaicos

O novo regulamento para equipamentos fotovoltaicos comercializados no Brasil publicado recentemente pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) que estabelece novos requisitos obrigatórios para geração, condicionamento e armazenamento de energia em todos os produtos no mercado nacional alterou de forma significativa o modo como o órgão vai exercer suas atividades de fiscalização. Iniciativa que torna o mercado de energia solar mais rigoroso e beneficia consumidores e empresas que já atendem os critérios estabelecidos pela Portaria 140/2022, publicada no Diário Oficial da União. A normativa passa a valer a partir do dia 2 de maio.  

Créditos: Shutterstock

“A nova portaria é uma grande vitória para todo segmento de energia solar e principalmente para o consumidor final que vai ter produtos fiscalizados por meio de regras de um órgão tão importante como o Inmetro. Não era claro quais empresas atendiam às normas técnicas, os níveis de segurança, resistência e outros requisitos”, destacou Caio Lentini, gerente Comercial da UNICOBA. 

Entre as principais novidades da atualização da portaria, estão a apresentação do selo ENCE (Etiqueta Nacional de Conservação de Energia) de forma visível ao consumidor, a obrigatoriedade dos inversores híbridos conectados à rede e as inclusões dos inversores on-grid para baterias híbridas e baterias de lítio.  

Mesmo sabendo que a energia solar é uma fonte intermitente quando complementada por outras matrizes que utilizam baterias para conexão com a rede elétrica, antes da publicação da portaria, esse sistema não possuía nenhum tipo de regulamentação. 

“Agora, com a nova portaria os usuários terão segurança em comprar equipamentos que possibilitem mais de uma fonte de energia, incluindo o armazenamento de energia por baterias híbridas ou de lítio, por exemplo. É um grande avanço para nos aproximar cada vez mais do aumento de geração de energia por fontes renováveis”, reforçou Caio. 

Além da medida representar um avanço significativo para o setor regulado e prezar pela qualidade, o sistema de energia solar nacional também passa a contar com mais segurança, já que para atuarem no mercado nacional de energia solar, todas as empresas terão que seguir as normas impostas pelo Inmetro, e as distribuidoras de energia, a homologarem as instalações com esses equipamentos. 

“As baterias de lítio ferro fosfato fabricadas pela UNICOBA sempre foram produzidas para ter vida útil de até 6000 ciclos de carga e descarga e trabalhar com temperaturas de até 60ºC. Caso a rede elétrica apresente uma oscilação, os sistemas fotovoltaicos com baterias ajudam a estabilizar a rede e manter o atendimento ao consumidor. Agora, todas as fabricantes que atuam no país também têm que seguir a mesma exigência”, falou Lentini. 

2 comentários em “Nova regulamentação para equipamentos fotovoltaicos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.