Impressora 3D digital em metal com tecnologia wire-laser

A Mitsubishi Electric Corporation anuncia o lançamento da impressora 3D AZ600, que cria estruturas 3D com fio de solda derretido por feixe de laser. A tecnologia de manufatura aditiva digital combinada ao controle espacial simultâneo de 5 eixos e controle coordenado das condições de usinagem, a primeira do mundo, oferece impressão 3D estável e de alta qualidade.

A impressora cria estruturas 3D usando a tecnologia exclusiva de controle de calor de alta precisão da Mitsubishi Electric. Também é possível criar esferas ocas, que são, em princípio, impossíveis de serem impressas pelas técnicas tradicionais de corte.

Complementando o lançamento, a Mitsubishi Electric oferece um novo serviço de consultoria para aproveitar ao máximo os benefícios do uso das novas impressoras e adotar rapidamente a manufatura aditiva, com expertise em design de produtos, prototipagem e conselhos gerais sobre a aplicação da impressão 3D em metal.

A manufatura aditiva

A manufatura aditiva deve fazer parte da estratégia de reparo e manutenção de peças caras, especialmente as usadas em ambientes agressivos, como pás de turbinas ou moldes, pois pode prolongar a vida útil e reduzir os custos operacionais associados a essas peças. Além disso, contribui para a descarbonização no setor de manufatura, reduzindo o impacto ambiental das operações de produção, com maior sustentabilidade, diminuindo o consumo de energia e economizando recursos com tempo menor de processamento.

Os novos modelos usam métodos de produção altamente eficientes, como “near-net-shape”, que reduz o tempo de corte em 80%, otimizando a produção de peças para manutenção de automóveis, navios e aeronaves.

Foco na sustentabilidade

Nos últimos anos, a crescente necessidade de reduzir as emissões de CO2 na indústria metalúrgica estimulou um aumento na demanda por métodos metalúrgicos mais eficientes que reduzam o consumo de energia e conservem recursos naturais finitos. Impressoras 3D em metal que utilizam matéria-prima à base de pó apresentam problemas de gerenciamento de materiais, usabilidade e segurança, sendo necessário um novo processo de manufatura aditiva. Apesar de ser adequada para impressões de moldes complexos de alta precisão, a matéria-prima à base de pó apresenta problemas com o armazenamento e custos de material e impacto ambiental.

Já impressoras que utilizam o arame de aço como matéria-prima normalmente usam uma descarga de arco como fonte de calor, o que acarreta problemas de precisão devido à alta tensão térmica e ao impacto do calor nas camadas do material.

Precisão e qualidade

O novo sistema desenvolvido pela Mitsubishi Electric que utiliza como matéria-prima o fio de solda resolve esses problemas usando um feixe de laser para controle altamente preciso da entrada de calor de acordo com o estado de construção, combinando assim a precisão da moldagem com as vantagens da matéria-prima de arame.

Entre outras vantagens, estão encurtar significativamente o processo de manufatura convencional, reduzindo o desperdício de materiais no processo de fabricação, aumentando a flexibilidade do projeto, facilitando a integração de várias peças e produzindo peças mais leves.

O uso exclusivo do controlador numérico computadorizado (CNC), para o controle cooperativo das condições de processamento, como alimentação do fio, potência do laser e alimentação do eixo, possibilita a manufatura aditiva de estruturas tridimensionais de alta precisão e qualidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.